Notícias » Rússia

Putin ataca russos que não defendem a Guerra: 'escória'

Segundo o presidente, a Rússia sempre será capaz de distinguir os “verdadeiros patriotas”

Fabio Previdelli Publicado em 17/03/2022, às 14h54

O presidente russo Vladimir Putin
O presidente russo Vladimir Putin - Getty Images

“Traidores nacionais”, foi desta forma que o presidente Vladimir Putin classificou os russos que são contrários à invasão na Ucrânia, ou como ele mesmo diz: “operação militar especial”. A fala foi dita durante um discurso televisionado que foi dirigido aos que contestam o conflito. 

De acordo com Putin, os russos “sempre serão capazes de distinguir verdadeiros patriotas dos que são escória e traidores. E simplesmente os cuspirão como um mosquito que acidentalmente voo em suas bocas”.

Estou convencido de que uma autopurificação tão natural e necessária da sociedade só fortalecerá nosso país", prosseguiu.

"O Ocidente tentará confiar na chamada quinta coluna [termo usado na Guerra Espanhola para se referir aos simpatizantes do inimigo], nos traidores nacionais, naqueles que ganham dinheiro aqui conosco, mas vivem lá. E quero dizer 'viver lá' nem mesmo no sentido geográfico da palavra, mas de acordo com seus pensamentos, sua consciência servil", disse.

Por fim, Putin acusou o Ocidente de usar a ‘quinta coluna’ para criar distúrbios civis em seu país. "E há apenas um objetivo, já falei sobre isso: a destruição da Rússia", concluiu. 

Os termos "traidores" e “purificação” da nação já haviam sido usados mais cedo pelo Kremlin, em discurso do porta-voz Dmitri Peskov. "Neste tipo de situação, acontece que muitas pessoas são traidoras e vão embora das nossas vidas por si mesmas. Alguns se demitem, outros saem do país. É uma purificação. Outros violam a lei e são punidos conforme a lei".