Notícias » Rússia

Putin critica sanções aplicada por nações ocidentais: 'Império de Mentiras'

Presidente russo se reuniu com sua equipe econômica na manhã desta segunda-feira, 28, no Kremlin

Fabio Previdelli Publicado em 28/02/2022, às 16h18

Ucranianos protestando com um cartaz contra Putin
Ucranianos protestando com um cartaz contra Putin - Getty Images

Durante reunião com sua equipe econômica na manhã desta segunda-feira, 28, o presidente russo Vladimir Putin fez duras críticas às sanções econômicas aplicadas contra seu país. De acordo com Putin, as medidas tomadas por nações do Ocidente são um “Império de Mentiras”. 

Eu convidei vocês para falar sobre assuntos relacionados a economia e finanças. Mikhail Vladimirovich [primeiro-ministro da Rússia] e eu já discutimos esse assunto. É claro que essas sanções da agora chamada comunidade ocidental são um império de mentiras", declarou, segundo apontou a agência estatal russa RIA Novosti. 

A reunião foi anunciada um pouco mais cedo por Dmitry Peskov, secretário de imprensa, que informou que o presidente se encontraria no Kremlin com outros membros do governo para debater sobre questões econômicas. 

Além do já citado Mikhail Vladimirovich, primeiro-ministro da Rússia; também estiveram presentes o vice-primeiro ministro Andrei Belousov; Anton Siluanov, ministro das Fianças; e a chefe do Banco Central Russo, Elvira Nabiullina.

Invasão na Ucrânia

Após semanas de tensão entre a Rússia e a Ucrânia, o presidente russo Vladimir Putin iniciou na última quarta-feira, 24, o que chamou de 'operação militar especial' da Rússia na Ucrânia, como repercutiu a Fox News. 

De acordo com o veículo internacional, através de um pronunciamento, o presidente da Rússia disse que o confronto com as forças ucranianas é 'inevitável'. 

Tomei a decisão de conduzir uma operação militar especial. Nossa análise concluiu que nosso confronto com essas forças (ucranianas) é inevitável". 

'Consequências'

Putin, que descreve a ação como uma resposta a supostas 'ameaças da ucrânia', mandou recado para nações que tentarem intervir na 'operação'.

"(...) Algumas palavras para aqueles que seriam tentados a intervir: a Rússia responderá imediatamente e você terá consequências que nunca teve antes em sua história", disse ele.

Negociação inicial por acordo fracassa

Após expectativas ao redor do mundo, a primeira negociação entre Rússia e Ucrânia, que visa cessar fogo após a invasão iniciada por Vladimir Putin, acabou sem acordo nesta segunda-feira, 28. 

Os países, que se encontraram através de delegações diplomáticas na fronteira em Belarus, tentavam negociar para interromper o conflito que matou mais de 100 pessoas na Ucrânia em um único dia. 

De acordo com Mykhailo Podolyak, assessor presidencial ucraniano, os representantes das nações vão retornar antes de uma segunda tentativa de negociar o fim do conflito. Ele deixou claro qual era o objetivo do encontro, conforme repercutido pela CNN Brasil.

As delegações ucranianas e russas realizaram a primeira rodada de negociações. Seu objetivo principal era discutir o cessar-fogo e o fim das ações de combate no território da Ucrânia”, explicou Mykhailo Podolyak.

Além disso, ele diz que as delegações determinaram tópicos onde certas decisões foram mapeadas.

“As partes determinaram os tópicos onde certas decisões foram mapeadas. Para que essas decisões sejam implementadas como um roteiro, as partes estão retornando para consultas às suas capitais”, afirma o assessor.

Ao final, Mykhailo disse que uma segunda rodada já foi discutida pelas delegações. “As partes discutiram a realização de mais uma rodada de negociações onde essas decisões podem ser desenvolvidas”, disse.