Notícias » Rússia

Putin trabalhou como taxista após queda da União Soviética

O presidente russo disse que o empregou serviu para complementar sua renda durante a crise econômica subsequente

Isabela Barreiros Publicado em 13/12/2021, às 10h07 - Atualizado em 26/12/2021, às 14h03

O presidente russo Vladimir Putin
O presidente russo Vladimir Putin - Getty Images

O presidente russo Vladimir Putin revelou que trabalhou como motorista de táxi para complementar sua renda após o fim da União Soviética (URSS) em 1991 e anos de crise econômica subsequentes.

A declaração foi feita ao documentário Russia, Latest History (Rússia, a História Mais Recente, em tradução livre), que foi transmitido no dia 12 de dezembro. Os comentários foram repercutidos pela agência estatal russa RIA Novosti.

"Às vezes, precisava ganhar um dinheiro extra", disse Putin. "Quer dizer, ganhar um dinheiro extra de carro, como motorista particular. É desagradável falar sobre isso, mas infelizmente foi o caso."

O líder russo lamentou a queda da União Soviética, que ocorreu há três décadas, e descreveu o evento como o "colapso da Rússia histórica". Ele também afirmou que o colapso do Estado socialista segue sendo “uma grande tragédia humanitária”.

"Viramos um país completamente diferente. E o que havia sido construído ao longo de mais de mil anos foi em grande parte perdido", completou.

Assim como Putin, muitos russos tiveram que buscar outras formas de trabalho para ganhar dinheiro durante a crise econômica gerada pela dissolução da União Soviética. Como táxis eram raros no país, caronas passaram a complementar a renda de alguns cidadãos.

Como destaca a BBC News, o presidente russo é conhecidamente um ex-agente da KGB, principal organização de serviços de segurança da União Soviética. Depois disso, atuou no gabinete do prefeito de São Petersburgo, Anatoly Sobchak, na década de 1990.