Notícias » Família Real Britânica

Quebra de tradição: Membros da Família Real não usarão trajes militares no funeral do príncipe Philip

A escolha acontece para evitar mais constrangimentos entre membros da realeza, diz imprensa britânica. Entenda!

Penélope Coelho Publicado em 15/04/2021, às 08h28

Príncipe Philip em 2018
Príncipe Philip em 2018 - Getty Images

De acordo com informações da agência de notícias AFP, publicadas nesta quinta-feira, 15, pelo portal BOL, os membros que integram a Família Real Britânica não irão usar uniformes militares no funeral do príncipe Philip. O Duque de Edimburgo faleceu na semana passada, aos 99 anos.

Segundo revelado na publicação, as informações vieram da imprensa britânica. Acredita-se que a escolha de trajes civis tenha sido pensada pela presença de Harry no funeral.

Sabe-se que o filho de Lady Di abandonou suas funções reais, e por isso, não poderia mais usar um uniforme militar. Ao contrário de seu irmão William, seu pai Charles, e dos tios, o príncipe Edward e princesa Anne.

Além disso, um dos filhos de Elizabeth II e Philip, príncipe Andrew, também está na mesma situação, já que o homem está afastado da realeza em decorrência de acusações sobre seu envolvimento no escândalo sexual de abuso de menores de Jeffrey Epstein. Para evitar constrangimentos, o protocolo será quebrado e todos deverão usar trajes civis.

O funeral do Duque de Edimburgo está marcado para acontecer no próximo sábado, 17. O marido da rainha será enterrado no Castelo de Windsor, em decorrência da pandemia do novo coronavírus, a cerimônia deve contar somente com 30 pessoas, além disso, irá atender a um pedido de Philip, que desejava que o evento fosse discreto.

Sobre Philip

Nascido em 10 de junho de 1921, o PríncipePhilip da Grécia e da Dinamarca, teve uma infância errante e conturbada, na juventude, ele descobriu sua vocação quando entrou para a Marinha britânica.

O homem se casou com a então princesa Elizabeth em 1947, na ocasião, continuou seu trabalho como militar, mas, renunciou ao cargo após a esposa assumir o trono britânico, em 1952. O relacionamento rendeu quatro filhos: Charles, Anne, Andrew e Edward. Philip tinha oito netos e iria completar 100 anos em junho.