Notícias » Oriente Médio

Registradas 10 mortes de combatentes na Síria, após ataques de Israel

O Exército de Israel atacou nesta quarta-feira, 18, duas posições da defesa aérea síria, além de atingir depósitos das forças iranianas

Giovanna de Matteo Publicado em 18/11/2020, às 11h22 - Atualizado às 11h23

Imagem mostra uma cidade destruída durante a Guerra Civil Síria
Imagem mostra uma cidade destruída durante a Guerra Civil Síria - Divulgação

Foram registradas, ao menos, 10 mortes de combatentes, incluindo três oficiais da defesa aérea síria e outros paramilitares estrangeiros, nesta quarta-feira, 18, durante os ataques do exército de Israel na Síria. As informações foram divulgadas pela ONG Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH).

Acredita-se que cinco dos 10 homens falecidos faziam parte da Força Qods, grupo paramilitar de elite da Guarda Revolucionária iraniana. Além disso, a organização também declarou que dois combatentes de milícias pró-Irã, provavelmente de nacionalidade árabe, estão entre o grupo de mortos. 

Segundo informações do diretor do OSDH (Observatório Sírio de Direitos Humanos), Rami Abdel Rahman à AFP, o Exército de Israel atacou duas posições da defesa aérea síria, que estavam localizadas perto do aeroporto de Damasco. Os bombardeios também atingiram alguns depósitos de armas e munições das forças iranianas e pró-Irã próximas da capital.

De acordo com fontes israelenses, o alvo dos atentados foi "o quartel-general iraniano" na Síria, um local supostamente "secreto" que acomodava "delegações de altos dirigentes iranianos", além da sétima divisão do exército da região. Segundo os oficiais, lá também eram mantidos baterias de mísseis terra-ar.

A guerra na Síria teve início em 2011, e desde então Israel já realizou centenas de ataques aéreos contra o país, sendo que na maioria das vezes os seus alvos são tropas iranianas ou as forças do Hezbollah libanês, assim como o exército local.