Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Reino Unido

Reino Unido: Crimes de ódio antissemitas atingem recorde

Relatório da Community Security Trust (CST) registrou um aumento drástico de incidentes contra judeus no ano passado em relação a 2020

Isabela Barreiros Publicado em 10/02/2022, às 10h35

Parede de uma sinagoga profanada com suásticas - Getty Images
Parede de uma sinagoga profanada com suásticas - Getty Images

Os crimes de ódio contra judeus atingiram um recorde no Reino Unido no ano passado em relação a 2020, mostrou um relatório que coletou relatos de violência antissemita tanto pessoalmente quanto de forma online.

A pesquisa feita pela instituição de caridade Community Security Trust (CST), que monitora o antissemitismo, registrou 2.255 incidentes de cunho antijudeu em 2021, o que representa um aumento de 34% em relação aos 1.684 casos de 2020.

O número também é a maior contagem anual já registrada pela CST, incluindo 173 agressões violentas e um aumento de pessoas gritando palavras de ódio em carros passando pelas ruas, sofridos por 155 pessoas em Manchester e Londres.

Incidentes entre estudantes universitários e acadêmicos foram destacados no relatório, aumentando drasticamente em 2021. Alunos e professores em escolas também sofreram com crimes antissemitas em um número que triplicou no ano passado, atingindo um novo recorde.

Como reportou o jornal britânico The Guardian, o pico do aumento coincidiu com o momento em que o conflito entre Israel e os palestinos eclodiu em maio de 2021, resultando em um contexto sangrento no Oriente Médio.

Para a ministra do Interior, Priti Patel, os números apontados pelo estudo são “chocantes”. A opinião dela foi apoiada pela secretária do Interior, Yvette Cooper, que completou que o recorde é “verdadeiramente terrível”.

Segundo Cooper, o número crescente “mostra o quão longe temos que ir para remover a mancha do antissemitismo de nossa sociedade”.

“Precisamos de ações urgentes para enfrentar esses incidentes vis onde quer que surjam, seja nas escolas, nas nossas ruas ou online. O ódio é inaceitável em todas as suas formas, e é nossa responsabilidade eliminá-lo de uma vez por todas”, acrescentou.

Mark Gardner, executivo-chefe do CST, também falou sobre os resultados do relatório: “Esses níveis recordes de racismo antijudaico, relatados por nossa comunidade judaica ao CST e à polícia, mostram como o ano passado foi difícil para os judeus em toda a Grã-Bretanha”.

“Esses ódios fervem, aproveitando qualquer desculpa para explodir publicamente contra os judeus. Isso é exatamente o que aconteceu durante e após a guerra Israel-Gaza de maio de 2021, desde escolas e universidades até os carros cheios de pessoas que dirigiram repetidamente para áreas judaicas e gritaram insultos vis a qualquer um que parecesse judeu”, acrescentou.