Notícias » Ucrânia

Relatório diz que a Ucrânia recebe ajuda de inteligência americana para matar generais russos

Segundo relatório repercutido pelo New York Times, os Estados Unidos estão fornecendo informações para as tropas ucranianas

Redação Publicado em 05/05/2022, às 11h42

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa - Pixabay/Eugene_69

Os Estados Unidos estão apoiando as tropas ucranianas por meio do fornecimento de inteligência que possibilitou que os militares identificassem e matassem muitos generais russos durante o conflito que se estende desde o final de fevereiro.

Segundo um relatório publicado pelo New York Times, que conta com declarações de autoridades de defesa americanas não identificadas, há uma assistência de inteligência dos EUA em ataque ao exército de Vladimir Putin.

Após a revelação, o porta-voz do Pentágono, John Kirby, confirmou a situação. Segundo ele, o país está fornecendo à “Ucrânia informações e inteligência que eles podem usar para se defender”.

Ainda assim, Adrienne Watson, porta-voz do conselho de segurança nacional, afirmou que a inteligência em questão não havia sido fornecida aos ucranianos “com a intenção de matar generais russos”.

Como reportou o jornal The Guardian, Washington teria informado à Ucrânia os movimentos esperados das tropas russas, assim como localização e informações sobre a sede militar móvel inimiga. Também é prometido que o país receba US$ 20 bilhões em armas.

Guerra Rússia x Ucrânia

A Ucrânia afirma ter matado pelo menos 12 generais russos no campo de batalha. No último final de semana, foi informada a morte do major-general Andrei Simonov, comandante russo de guerra eletrônica.

Para o secretário de Defesa dos EUA, Lloyd Austin, a expectativa dos Estados Unidos com as ações em ajuda à Ucrânia é poder “ver a Rússia enfraquecida a ponto de não poder fazer o tipo de coisa que fez ao invadir a Ucrânia”.