Notícias » Crimes

Relatório revela, ao menos, 216 mil casos de pedofilia da Igreja Católica da França desde 1950

O documento ainda estima 2,9 mil a 3,2 mil abusadores na instituição religiosa durante as últimas sete décadas

Wallacy Ferrari, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 05/10/2021, às 10h04

Imagem poética de terço
Imagem poética de terço - Getty Images

Um relatório feito pela Comissão Independente sobre Abuso Sexual na Igreja (CIASE), realizado após uma investigação independente, estimou que aproximadamente 216 mil crianças entre os anos de 1950 até os dias atuais sofreram abusos de sacerdotes ou religiosos franceses, ligados a Igreja Católica.

A investigação foi presidida pelo vice-presidente do Conselho de Estado da França, Jean-Marc Sauvé, que revelou também a estimativa do que foi classificado como "predadores sexuais" pelo documento; entre 2,9 mil e 3,2 mil homens que, nos últimos 70 anos, teriam quebrado o dogma da confissão e do respeito em relação às práticas sexuais.

Os números impressionam pela quantidade e, de acordo com Sauvé, "exigem medidas muito fortes" para averiguar as causas e aperfeiçoar o dado oficialmente.

A pesquisa, feita com 30 mil pessoas representativas da população francesa, ainda estima um número maior quando somadas vítimas de abusadores que não faziam parte da Igreja, mas tinham relação com escolas e programas católicos, subindo ara cerca de 330 mil vítimas.

O documento foi destinado agora para comissão do Instituto Nacional de Saúde e Pesquisa Médica da França, que pode validar os relatórios oficialmente.

Em entrevista à RFI, o presidente da Conferência Episcopal Francesa, Eric de Moulins-Beaufort, manifestou "sua vergonha", "seu medo" e pediu "perdão" aos menores e familiares que possam ter sido diretamente afetados pela instituição religiosa.