Notícias » Livros

Símbolo da tragédia: em “A Menina da Foto”, Kim Phuc conta a sua trajetória de sofrimento e resgate

Retratada em foto símbolo dos horrores da guerra, sobrevivente detalha como superou o trauma da Guerra do Vietnã

Thiago Lincolins Publicado em 26/10/2018, às 14h00

A imagem que se tornou simbolo da guerra
A imagem que se tornou simbolo da guerra - Reprodução / Nick Ut

A imagem tornou-se um ícone dos tenebrosos anos vividos durante a Guerra do Vietnã. Na fotografia, a criança nua era Kim Phuc Phan Thi, que fugia dos lançamentos de bombas explosivas incendiárias na aldeia de Trang Bang em 1972.

A foto foi tirada por Nick Ut, da agência Associated Press, ele estava ao lado de um grupo de colegas depois de registrar o lançamento de bombas no dia 8 de junho de 1972. O objetivo era liberar a Estrada nº 1, controlada pelos vietcongs do Vietnã do Norte.

Quando Ut olhou para a estrada, viu um grupo de moradores fugindo do horror. Phuc, de 9 anos, que gritava: “Nong qua, nong qua” (muito quente). Ut e outro fotógrafo socorreram a menina com água de seus cantis. Ele a levou no carro da agência para Cu Chi, um hospital a meio caminho de Saigon, com algumas das outras crianças da foto acima.

A imagem expôs os horrores causados pela Guerra do Vietnã para o mundo inteiro.“Se não fosse pelo fotógrafo Nick Ut, o mundo talvez nunca conhecesse a tragédia que ele captou com a sua câmera”, diz Phan Thi, na biografia A Menina da Foto.

Ao mesmo tempo, a tragédia deixou Phuc revoltada e com sentimento de ódio. Em uma  biografia impactante, a personagem principal da foto conta a sua dura trajetória, e explica como a conversão ao cristianismo transformou a sua vida.

“Segundos depois, vi um avião se aproximando de mim. Foi avassalador ver algo tão imenso, rápido e absurdamente barulhento. A magnitude daquilo tudo me deixou paralisada na entrada. Fiquei boquiaberta enquanto o avião passou zunindo, com sua imensa barriga cinzenta escondendo temporariamente os vestígios de luz solar que tinham conseguido atravessar tempestades matinais. (...) O voo rasante não fora por acaso, pois da parte inferior daquele avião caíram quatros grandes bombas negras. E elas caíram suavemente no solo, aterrissando uma por uma, fazendo cambalhotas”, cita em trecho do livro.


A Menina da Foto, Kim Phuc Phan Thi, Editora Mundo Cristão, 314 páginas, R$ 33,90