Notícias » Estados Unidos

Resort de esqui na Califórnia abandona nome que continha termo racista e misógino

“Chegamos à conclusão de que era hora de mudar de nome”, afirmou o estabelecimento em nota

Isabela Barreiros, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 14/09/2021, às 14h32 - Atualizado às 14h33

O resort Palisades Tahoe, nos EUA
O resort Palisades Tahoe, nos EUA - Getty Images

Um resort de esqui, localizado em Lake Tahoe, na Califórnia, nos Estados Unidos, anunciou nesta terça-feira, 14, que tomou a decisão de mudar o nome oficial para abandonar uma ofensa racista e misógina carregada pela denominação do estabelecimento.

Como repercutido pelo jornal The Guardian, o local, que leva o nome de Squaw Valley desde 1949, passou a ser conhecido como Palisades Tahoe, medida que foi tomada após uma série de consultas com comunidades indígenas da região. O resort foi sede dos Jogos Olímpicos de Inverno de 1960.

Isso porque a palavra “squaw” deriva da língua algonquina, mas há muito tempo teve seu significado transformado de “mulher” para um termo misógino e racista usado contra os grupos ancestrais, principalmente para desacreditar de mulheres indígenas. 

“Há mais de um ano, chegamos à conclusão de que era hora de mudar de nome. As razões eram claras — o nome antigo era depreciativo e ofensivo”, diz nota do resort. “Não representava quem somos ou o que representamos. E não poderíamos, em sã consciência, continuar a usá-lo”.

A decisão de mudar o nome foi tomada em agosto do ano passado, quando o assassinato de George Floyd nos Estados Unidos levantou uma onda de questionamentos sobre símbolos de opressão homenageados em nomes de ruas, parques, estabelecimentos, entre outros. 

A nova designação ao resort foi anunciada recentemente, segundo a publicação. A Tribo Washoe, assim como outras nações indígenas da Califórnia, foram consultadas para a mudança e aprovaram a alteração. 

“Estamos na área há milhares de anos. O Vale Olímpico está dentro da pátria ancestral do povo Washoe. A própria palavra é um lembrete constante do tratamento injusto do povo nativo, do povo Washoe”, afirmou Darrel Cruz, do Escritório de Preservação Histórica da Tribo Washoe, em comunicado. 

Ele completou: “É um lembrete constante daqueles períodos em que não era bom para nós. É um termo que nos foi imposto por outra pessoa e não concordamos com ele”.