Notícias » Antiguidade

Restos de santuário de quase 3 mil anos são descobertos embaixo de templo na Etiópia

Datado no século 7 a.C., a estrutura encontrada possui características do povo sabeu

Wallacy Ferrari Publicado em 20/02/2020, às 12h30

Imagem aérea da região onde o santuário foi descoberto
Imagem aérea da região onde o santuário foi descoberto - Deutsche Archäologische Institut

Em escavações recentes no monte onde o Templo de Yeha está instalado, a estrutura de um antigo santuário foi descoberta por uma equipe arqueológica etíope-alemã, na província de Tigray, norte da Etiópia. Com paredes estruturadas sem argamassa e cavilhas de pedras, uma superfície rugosa e bordas suavizadas caracterizam a construção aos padrões de construções do sul da Arábia datadas no século 7 a.C..

As paredes externas possuem 1,40 m de espessura e, internamente, tem uma passarela formando um corredor de pilares. A estrutura está bastante danificada, entretanto, a administração do templo vizinho cogita restaurá-la, como fez com o santuário principal, dedicado ao Deus Sabean Almaqah. A data coincide com a época que o Templo de Yeha foi levantado.

Escaneamento 3D da área escavada onde o santuário foi encontrado - Deutsche Archäologische Institut

 

Os trabalhos de escavação em busca de respostas sobre o passado da região iniciou em 2009, pelo departamento de Oriente da DAI, o Instituto Arqueológico Alemão. Professor da Universidade Friedrich Schiller, o Dr. Norbert Nebes orienta pesquisa do DAI e dos cientistas da Etiópia, de acordo com estudos relacionados ao povo antigo do lendário Reino de Sabá.

Nebes acredita que as descobertas, além de revelar a história do local, é um excelente meio de desenvolver o intercâmbio cultural na antiguidade. “Os Sabeus não trouxeram apenas sua arquitetura, mas também suas instituições políticas e religiosas, como sabemos em inúmeras construções e registros históricos”, afirmou o professor em entrevista ao Archaeologie Online.