Notícias » Civilizações

Restos de templo 'perdido' do faraó Ptolomeu I são encontrados no Egito

'Eles estão em um estado de perfeição absoluta. Parece que foram feitos ontem', descreveu Jordi Clos, do Museu Egípcio de Barcelona

Redação Publicado em 29/03/2021, às 10h51

Restos do antigo templo
Restos do antigo templo - Divulgação/Museu Egípcio de Barcelona

Uma novidade impressionante foi revelada por arqueólogos que trabalharam em escavações no Egito. Conforme anunciado pela agência de notícias AFE, uma missão arqueológica do Museu Egípcio de Barcelona foi capaz de identificar parte do templo do faraó Ptolomeu I no valioso sítio arqueológico de Kom el-Ajmar Sharuna.

Em uma parceria com a Universidade Tübingen (da Alemanha) e o Conselho Supremo de Antiguidades do Egito, a missão foi concluída após 15 anos. O esforço conjunto foi capaz de revelar sessenta blocos da obra, até então, 'perdida'.

Jordi Clos, responsável pelo Museu Egípcio de Barcelona, descreveu os blocos como "perfeitamente esculpidos com as suas divindades e hieróglifos explicativos sobre a história do templo e os deuses a quem fora consagrado". Ele também revela o impressionante estado de conservação: 'Eles estão em um estado de perfeição absoluta. Parece que foram feitos ontem'.

Um dos restos encontrados no Egito /Crédito - Divulgação/Vídeo/ Canal 20 Minutos

 

Conforme divulgado pela agência, ele explicou que durante todos esses anos, foram encontradas tumbas, equipamentos funerários, itens de cerâmica e até mesmo uma caverna que apresentava múmias, contudo, a descoberta atual é única: ‘Esta descoberta supera o anterior e abre novas expectativas para o futuro’.

“(É) uma aventura que se iniciou em 1838 quando o egiptólogo Nestor L´Hôte mencionou pela primeira vez a existência de um templo em Sharuna, do qual todos os vestígios se perderam apesar da busca realizada posteriormente por exploradores e egiptólogos no final do século XIX ", disse Luis Manuel Gonzálves, que liderou a missão arqueológica.

Técnicas modernas

Foi a partir desses textos que se tornou possível entender que o templo fora dedicado ao Faraó, especificamente o primeiro da instigante dinastia ptolomaica. A documentação conta com dados incríveis sobre a construção do templo e os deuses que foram citados.

As escavações /Crédito - Divulgação/Museu Egípcio de Barcelona

 

Para lidar com os restos identificados, os profissionais realizaram a drenagem do terreno, que é úmido. Assim, técnicas atuais foram colocadas em prática para reproduzir o modelo tridimensional.

Além disso, vale ressaltar que um dos próximos passos do projeto é montar uma exposição temporária no Museu Egípcio de Barcelona com o objetivo de exibir réplicas que teriam o verdadeiro tamanho dos blocos encontrados.

++Leia também: Segredos do Egito Antigo: Pesquisadores revelam o mais antigo manual sobre mumificação