Notícias » Arqueologia

Restos mortais de casal chinês de mil anos são encontrados durante construção de rodovia

Arqueólogos acreditam que os corpos foram enterrados juntos para manter o romance mesmo após a morte

Vanessa Centamori Publicado em 28/05/2020, às 09h30

Pesquisadores escavam antigo cemitério de Tangjiawan, na China
Pesquisadores escavam antigo cemitério de Tangjiawan, na China - Divulgação/ Xinhua

Restos mortais de um casal chinês que morreu há mil anos foram descobertos recentemente no antigo cemitério de Tangjiawan, na China, local que está sendo modificado para dar lugar a rodovia Ningxiang-Shaoshan, que será inaugurada em 2022. 

O achado foi feito por arqueólogos do Instituto de Relíquias Culturais e Arqueologia da província de Hunan. Eles encontraram o antigo casal chinês deitado em uma cova forrada de tijolos com as cabeças apoiadas em um "travesseiro" de ladrilhos. 

Além dos fósseis dos apaixonados, os especialistas acharam também carvão, vários fragmentos de cerâmica e ainda um prego que havia sido usado para fechar a tumba de mil anos, onde descansa a dupla.

Segundo informações do site China Daily, os corpos foram enterrados juntos graças à uma janela em uma parede divisória, que possivelmente serviu para conectar o marido e a esposa, permitindo que eles continuem seu romance na vida após a morte.

Pesquisador examina tumbas no cemitério chinês / Crédito: Divulgação/ Xinhua

 

Ao jornal The Daily Mail, o principal arqueólogo do local, Yang Ningbo, contou que a janela, que é chamada "ponte das fadas", ou buraco no muro de separação, é "um achado raro" considerando descobertas anteriores de tumbas chinesas. 

Acredita-se que o casal de mil anos foi enterrado durante a Dinastia Song, fundada em 960 d.C pelo imperador Taizu. O governo entrou em colapso dez anos depois que Marco Polo chegou a Pequim em 1266 dC.