Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Brasil

Rio de Janeiro registrou 4 mil estupros coletivos na última década

O estado possui mais de uma denúncia por dia relacionada ao crime, que afeta principalmente menores de idade

Redação Publicado em 22/06/2022, às 12h22

Fotografia meramente ilustrativa - Divulgação/ Pixabay/ Antranias
Fotografia meramente ilustrativa - Divulgação/ Pixabay/ Antranias

De acordo com arquivos da Polícia Civil, o estado do Rio de Janeiro registrou nada menos que 3.980 casos de estupro coletivo (quando o crime de abuso sexual é cometido por múltiplos agressores) de 2012 até maio de 2022. 

De forma ainda mais preocupante, a maior parte dessas agressões, que ultrapassam a média de uma por dia, foram direcionadas a menores de idade, ainda segundo apurado pela Globo, que obteve os dados através da Lei de Acesso à Informação

Instrumentos da lei

De 2018 para cá, felizmente, a quantidade de estupros coletivos documentados no estado do Rio de Janeiro entrou em declínio, o que pode ser atribuído a uma mudança na legislação, que aumentou as sentenças para criminosos envolvidos em abusos sexuais com mais de um agressor, tornando-os aptos a condenações de até 16 anos de prisão. 

A medida, todavia, não basta por si só para que esses episódios de violência sejam combatidos com eficiência. Em entrevista ao veículo, a advogada Flávia Pinto Ribeiro, líder do braço fluminense da Comissão da Mulher Advogada, comentou a situação: 

A mudança na legislação foi bem-vinda, é indiscutivelmente um avanço, mas precisamos monitorar para garantir que essas majorantes sejam efetivamente aplicadas. Assim como aconteceu nos casos de feminicídio, em que tivemos que bater muito nessa tecla para que os crimes fossem tipificados do modo correto, acho que os estupros coletivos vêm seguido o mesmo caminho. A punição tem de servir de exemplo, de modo a inibir que aquilo se repita", argumentou a profissional.