Notícias » Brasil

RJ: Empresária negra é acusada de furtar peça de roupa que já era sua em shopping

A mulher foi abordada aos gritos no corredor, ordenando para que devolvesse a peça da afilhada que levou para comparar medidas

Wallacy Ferrari, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 17/06/2021, às 10h02

Fachada do Norte Shopping, local onde ocorreu o caso
Fachada do Norte Shopping, local onde ocorreu o caso - Divulgação / Norte Shopping

A empresária Juliane Ferraz, 24, protagonizou instantes de constrangimento durante a visita ao Norte Shopping, no Rio de Janeiro, durante o último dia 10 de junho; ao sair de casa com um vestido da enteada na bolsa para ter referências de tamanho, foi abordada aos gritos pelo supervisor da loja Leader e um segurança, como informa a Istoé.

Minutos antes, a moça havia circulado pela loja de roupas, sem levar nada, e já estava andando por outros estabelecimentos no shopping. Ordenada a abrir a bolsa, os funcionários se depararam com uma peça que sequer era de alguma das grifes disponíveis na Leader, como explicou a empresária ao portal UOL.

“Expliquei tudo, mas ele insistiu em afirmar que peguei o vestido e disse que eu devia ter esquecido de pagar. Falei que não existia isso de esquecer de pagar, que isso era furtar, e ele me respondeu que eu peguei e estava filmado”, acrescentou Juliane.

Ambos consultaram a gravação e perceberam que, ao observar e devolver uma peça ao cabide da loja, o vestido colocado na bolsa era o da enteada. O shopping e a Leader formalizaram, ainda no local, um pedido de desculpas.

Orientada por atendentes de 190, serviço da Polícia Militar, Juliane anotou os nomes dos funcionários e prestou uma queixa de “calúnia”, cujo caso foi encaminhado ao Juizado Especial Criminal (Jecrim).