Notícias » Brasil

Roberto Alvim diz desconfiar de "ação satânica" após demissão

O ex-secretário da Cultura foi exonerado após má repercussão de discurso em que copiava o Ministro da Propaganda de Hitler

André Nogueira Publicado em 20/01/2020, às 12h58

Roberto Alvim
Roberto Alvim - Wikimedia Commons

Roberto Alvim, ex-Secretário Especial da Cultura demitido por Jair Bolsonaro na semana passada (oficialmente dia 17, segundo o Diário Oficial), declarou em mensagem pública no WhatsApp que desconfia de uma “ação satânica” que seria responsável por sua saída do governo.

O secretário foi exonerado por declarações alusivas a antigo discurso do ministro nazista Joseph Goebbels, em que se declara uma era de Artes nacionalistas e conservadoras.

Conforme foi divulgado pelo O Globo, "foi tudo uma série terrível de eventos e coincidências que levaram a essa catástrofe... Estou orando sem parar, e começo a desconfiar não de uma ação humana, mas de uma ação satânica em toda essa horrível história”.

A mensagem de Alvim foi reproduzida pelo cineasta olavista Josias Teófilo, que defendeu a exoneração do secretário após discurso.

O ex-secretário ainda declarou não ter ligações com o nazismo: “tenho total repúdio pelo nazismo, assim como por quaisquer outros regimes genocidas. Como cristão, jamais me associaria com assassinos.”