Notícias » Estados Unidos

Robôs entregadores ganham direitos nos Estados Unidos

Apesar da praticidade, projeto não agradou a todos. Entenda!

Fabio Previdelli Publicado em 08/03/2021, às 11h00

Scout, o robô de entregas da Amazon
Scout, o robô de entregas da Amazon - Divulgação

Parar na faixa de pedestre vai muito além de uma lei de trânsito, é também um ato de cidadania. Porém, no estado da Pensilvânia, nos Estados Unidos, esse gesto vai além de uma atitude entre humanos. 

Acontece que por lá, os chamados “robôs de calçadas”, que são utilizados para a entrega de produtos por grandes empresas — como a Amazon e a FeDex —, estão se proliferando pelas ruas, tanto é que passaram a ganhar alguns direitos básicos de “pedestres”, conforme explica matéria publicada pelo site Axios. 

A prática, inclusive, não é exclusividade da Pensilvânia, já que na Virgínia, Idaho, Flórida e Wisconsin também possuem regras que autorizam a circulação de robôs pelas calçadas.

Porém, na Pensilvânia, as normas são bem mais liberais. Para se ter uma ideia, por lá, os robôs, que podem chegar a 250 quilos, podem trafegar nas calçadas a uma velocidade de até 19 km/h. 

Já quando não estão nas calçadas ou áreas de pedestres, os Dispositivos de Entrega Pessoal (PDD, na sigla em inglês) podem operar em estradas ou acostamentos a uma velocidade de 40 quilômetros por hora.  

Porém, eles precisam de alguns cuidados. Os robôs entregadores possuem algumas restrições seguindo o projeto de lei, como serem obrigados a trafegarem na mesma direção do trânsito, terem de dar o direito de passagem a pedestres e ciclistas, e serem proibidos de transportar materiais perigosos. 

Apesar da praticidade e de ser um ponto favorável para evitar o contato pessoal em tempos de pandemia, o projeto de lei tem sido motivo de discórdia para alguns grupos, como os democratas, que consideram que os robôs tomariam o lugar de entregadores humanos, algo que eles consideram um assassinato de empregos, conforme cita o jornal “Pittsburgh City Paper”. 

Já o sindicato dos caminhoneiros e o Bike Pittsburgh, grupo de defesa de pedestres, também possuem queixas em relação a operação dos robôs. O Bike Pittsburgh cita que a velocidade de 19 kh/h é rápido demais para eles, já que, nas calçadas, os pedestres ficam numa média entre 5 e 6 km/h.  

"E em uma cidade como Pittsburgh, temos calçadas estreitas. Algumas dessas coisas podem ser do tamanho de uma geladeira. Como vamos contornar isso?", questionou Eric Boerer, do Bike Pittsburgh ao "Pittsburgh City Paper".