Notícias » Arqueologia

Ruínas de uma igreja de 1.300 anos são encontradas em Israel

Além do monastério, próximo ao Monte Tabor, foram desenterradas algumas relíquias do período bizantino

Alana Sousa Publicado em 30/07/2020, às 14h15

Vestígios da antiga igreja
Vestígios da antiga igreja - Alex Wiegmann/Autoridade de Antiguidades de Israel

Ruínas de uma igreja de 1.300 anos do período bizantino foram encontradas em um sítio arqueológico em Israel. Os arqueólogos acreditam que o templo possa ter sido um conjunto que contavam com ainda duas capelas, esses vestígios remontariam a um monastério principal.

Um detalhe importante que intrigou os pesquisadores é a localização da antiga igreja, que se encontra próxima ao Monte Tabor, onde, segundo a Bíblia, Jesus Cristo teria irradiado luz para alguns de seus discípulos. O fato também atraiu atenção de Youssef Matta, chefe da Igreja Católica Grega em Israel. Ele foi convidado pela Autoridade de Antiguidades do país para conhecer o local pessoalmente.

O local que abrigava a igreja / Crédito: Anya Kleiner/Autoridade de Antiguidades de Israel

 

O professor Moti Aviam, do Kinneret Academic College, que está colaborando com as escavações, revelou que o tamanho do edifício descoberto é de 12 por 36 metros — algo bem comum para aquela época. A cada missão novas evidências são encontradas, como explicou Nurit Feig, o arqueólogo líder da expedição. “Esta foi uma pequena escavação de resgate que expandimos”, afirmou ele.

Até o momento, foram desenterrados um pátio, um saguão, um salão principal e três abóbadas, segundo os especialistas. Entretanto, o artefato mais valioso foi uma caixa de pedra, usada para guardar relíquias sagradas. Outras escavações acontecerão futuramente para entender melhor sobre o passado local. E, com sorte, descobrir ainda mais objetos históricos.