Notícias » Espaço

Rússia acusa astronauta da NASA de danificar módulo propositalmente

O caso envolvendo Serena Auñón-Chancellor chama atenção pela ausência de evidências

Redação Publicado em 23/08/2021, às 13h15

Serena após reentrada na Terra
Serena após reentrada na Terra - Getty Images

Buscando justificar críticas sobre seu programa espacial, o governo da Rússia divulgou que a astronauta Serena Auñón-Chancellor, enviada pela NASA à Estação Espacial Internacional, teve um colapso mental durante a viagem, sem apresentar as causas da suposta recaída, como informa o portal Socientífica.

Em relatório oficial, a descrição do problema da astronauta foi de uma "crise psicológica aguda" após sintomas de uma trombose venosa profunda, mas sem exames ou quaisquer evidências anexadas ao documento, chamando atenção da comunidade especializada pela acusação contra a profissional da agência aeroespacial norte-americana.

A nota ainda acrescenta que, no início de 2018, Serena teria danificado propositalmente um módulo espacial russo para forçar sua reentrada na Terra em decorrência do colapso, acrescentando que a única câmera interna que poderia comprovar a ação falhou no momento da ocasião.

A estatal russa enaltece que, apesar da ausência de evidências, propõe um teste de polígrafo para tirar a limpo as dúvidas sobre a tal missão espacial de 2018 com funcionários americanos.

Em entrevista ao jornal britânico The Times, a administradora associada de voos espaciais tripulados da NASA, Kathy Lueders, confirmou que houve um incidente que resultou em falhas durante a missão citada, mas rejeita a narrativa russa: “Serena é uma tripulante extremamente respeitada, que fez contribuições inestimáveis. Não achei essa acusação crível”.