Notícias » Rússia

Rússia planeja remover submarinos radioativos e reatores do fundo do mar do Ártico

A empresa estatal russa de energia atômica, Rosatom, considera retirar os itens radioativos considerados mais perigosos

Giovanna de Matteo Publicado em 06/08/2020, às 14h00

Bandeira da Rússia
Bandeira da Rússia - pixabay

De acordo com a TASS, agência de notícias estatal da Rússia, o governo russo pretende retirar os seis itens mais radioativos fundo do mar do Ártico nos próximos 8 anos. Os intens incluem partes de um quebra-gelo afundado, reatores com combustível nuclear e submarinos nucleares.

A Rosatom comunicou à Fox News na última quarta-feira, 5, que cerca de 18 mil objetos radioativos estão no fundo do mar de Kara e do mar de Barents; "Seis deles - ou seja, reatores de um submarino K-11, K-19 e K-140, dois submarinos K-27 e K-159 inteiros e o combustível usado de um reator antigo de quebra-gelo de Lenin - contêm mais de 90% da radioatividade coletiva dos objetos ", explicou.

Ártico / Pixabay 

 

Embora a Rosatom tenha afirmado que a probabilidade de dispersão de partículas radioativas seja baixa, eles consideram um risco inaceitável para o ecossistema do Ártico. Levantar os seis objetos, transportá-los com segurança para descarte e prepará-los para armazenamento levará pelo menos oito anos, mas foi considerado extremamente necessário pela empresa.

Em seu site, a organização russa de desmantelamento de submarinos nucleares estimou que o custo de elevar esses seis objetos perigosos é de 278 milhões de euros (US $ 327,8 milhões de dólares, na conversão atual da moeda).

"Isso exigirá os esforços combinados de muitas organizações na Rússia para obter informações com eficiência sobre os níveis de radioatividade, os tipos de equipamentos necessários para levantar os objetos e as necessidades de transporte, entre outras questões. A segurança é nossa principal prioridade, e, portanto, o principal determinante da linha do tempo do projeto é o imperativo para minimizar os riscos para o pessoal, a população circundante e o meio ambiente ", anunciou a empresa.