Notícias » Brasil

Sara Winter decide abandonar o ativismo: "Hoje morreria de vergonha"

Em entrevista à revista Veja, a influenciadora pró-Bolsonaro afirmou que "nunca mais vocês vão me ver gritando 'mito'"

Redação Publicado em 11/02/2021, às 11h00

Fotografia da ativista Sara Winter
Fotografia da ativista Sara Winter - Divulgação/Youtube

Em junho do ano passado, a conservadora Sara Winter foi presa durante investigações sobre supostos atos antidemocráticos. Agora, em entrevista à Veja, a mulher tida como maior porta-voz do grupo pró-Bolsonaro afirmou que irá se “aposentar” do ativismo.

“Nunca mais vocês vão me ver gritando 'mito', 'mito'. Hoje morreria de vergonha de fazer isso", revelou a influenciadora, que já foi acusada de violar a Lei de Segurança Nacional. “Eu me sacrifiquei para defendê-lo [Bolsonaro] e faria tudo de novo, apenas de uma maneira diferente", pontuou Sara, durante a entrevista, segundo o UOL.

Essa não foi a primeira vez, contudo, que a ativista demonstrou estar descontente com o governo Bolsonaro. Em outubro de 2020, Sara usou suas redes sociais para afirmar que não conhecia mais o presidente. “Não sei mais quem ele é”, desabafou em longo texto.

Na ocasião, Sara ainda postou diversos vídeos em seu Instagram. Neles, a conservadora continuou: "Eu vou ter que levantar e resolver os meus problemas. E não tem Bolsonaro para ajudar e não tem Damarespara ajudar". Nessa época, Sara Winter já estava usando uma tornozeleira eletrônica, segundo decisão judicial emitida em junho, após sua prisão.