Notícias » Ciência

Satélites trazem soluções inéditas para problemas gerados pela pandemia

Mesmo do espaço, a tecnologia da SES, por exemplo, é capaz de garantir comunicação para segmentos essenciais, como o da saúde

Redação Publicado em 22/03/2021, às 16h00 - Atualizado às 16h23

Imagem meramente ilustrativa de satélite na órbita da Terra
Imagem meramente ilustrativa de satélite na órbita da Terra - Divulgação/Pixabay

Os satélites são popularmente conhecidos pelos serviços de internet e TV a cabo. Mas eles ainda têm a capacidade de superar barreiras geográficas e fornecer serviços de comunicação para vários segmentos essenciais, como saúde e recuperação de desastres.

Por isso, essa é uma indústria que deve mais do que dobrar de tamanho ao longo da década, de U$12 bilhões em 2020 para U$26 bilhões em 2029, segundo estimativas. A SES, líder global em soluções de conectividade de conteúdo, por exemplo, fornece serviços de satélites que possibilitaram a entrega ininterrupta de serviços essenciais de maneira confiável e segura em todo o mundo.

Através de serviços globais de satélite, a SES auxilia os seus parceiros a lidarem com situações bastante diversas, como conectar hospitais remotos em Bangladesh, Serra Leoa, México, e Itália, ajudando a identificar e direcionar pacientes com COVID-19.

A SES ainda apoia agências e governos para se prepararem tecnologicamente para a temporada de furacões e terremotos em regiões como o Haiti e o Nepal, além de possibilitar a restauração das linhas de comunicação quando as redes terrestres falham, facilitando os esforços de resposta e recuperação.

O Peru, por exemplo, é um país onde algumas regiões são de difícil acesso devido à geografia desafiadora. Dessa forma, a combinação de soluções habilitadas por satélite geoestacionário (GEO) e pela constelação de satélites O3b de Órbita Terrestre Média (MEO) da SES estão mudando esse cenário.

Nesse sentido, com a ajuda das tecnologias da SES, uma empresa de conectividade conseguiu fornecer cobertura móvel para comunidades em todo o Peru. Não apenas disponível em diversas áreas do país, a conexão ainda tem qualidade 4G.

Imagem meramente ilustrativa de satélites na órbita da Terra / Crédito: Divulgação

 

Diversos universos

Satélites, então, podem ser usados para diferentes propósitos e, um outro bom exemplo, é a parceria entre a SES e a COMNET, prestadora de serviços da Guatemala, que se uniram para promover a conectividade de banda larga e satélite para pesquisas arqueológicas na região.

Dentre as diversas tecnologias usadas, como GPS e conexão constante, os aplicativos promovem a precisão da pesquisa e a eficiência nos estudos. Dessa forma, os especialistas podem realizar análises que levariam anos, em alguns meses.

Por fim, os satélites também podem ajudar e apoiar o governo em missões como a patrulha de fronteira. Isso porque tais atividades dependem de dados atualizados em tempo real do campo para que se possam tomar as decisões necessárias.

A comunicação dessas informações táticas requer redes que forneçam conectividade de alto rendimento e baixa latência, fatores que possam conectar locais implantados em todo o mundo com a sede local — conectividade que não pode ser fornecida pelas opções de banda estreita já existentes.

As soluções comprovadas em campo da SES, portanto, podem implantar comunicações rapidamente para conectar centros de comando e sistemas de suporte essenciais. As equipes implantadas são conectadas à sede por meio de terminais móveis, permitindo uma ampla gama de transferências de arquivos grandes e vídeo full-motion descompactado. Isso permite que os tomadores de decisão atuem com base na consciência em tempo real da situação local.

Assim, a SES alavanca uma rede vasta e inteligente que abrange infraestrutura terrestre e de satélite para criar, fornecer e gerenciar soluções de vídeo e rede que conectam mais pessoas em mais lugares, com conteúdo que enriquece histórias pessoais.