Notícias » Chile

“Saúdo a coragem e o exemplo do Chile”, diz Lula sobre a mudança na Constituição do Chile

Ex-presidente comemorou a conquista chilena em sua conta no Twitter: “A América Latina resiste e começa a escrever uma nova página de sua história. Parabéns, povo chileno!”

Fabio Previdelli Publicado em 26/10/2020, às 12h30

Imagem de protesto ocorrido no ano passado no Chile
Imagem de protesto ocorrido no ano passado no Chile - Getty Images

No último domingo, 25, a população chilena votou favorável a mudança da Constituição vigente do país, o que representa a queda da herança política da ditadura Pinochet. Com 90% das urnas apuradas, 78% dos votos já eram favoráveis às mudanças, que visarão formar a primeira constituição com um caráter equitativo entre mulheres e homens.  

A mudança, entretanto, não foi celebrada somente em solo chileno, por aqui, por exemplo, o ex-presidente Lula celebrou a conquista: “Saúdo a coragem e o exemplo do Chile, que ontem derrotou na força do voto a Constituição ditatorial de Pinochet. A América Latina resiste e começa a escrever uma nova página de sua história. Parabéns, povo chileno!”, publicou através de sua conta oficial no Twitter.  

O que está acontecendo no Chile? 

Os protestos populares no Chile começaram no final do ano passado, quando manifestantes protestaram contra o aumento do de preço das tarifas de transporte público. Com isso, o governo até chegou a endurecer a onda de manifestações com a Lei de Segurança de Estado, mas nem isso conteve o comportamento do povo.  

O presidente Sebastián Piñera até voltou atrás pedindo perdão, e finalmente cancelou o aumento, mas, a resposta foi essa: o Chile permaneceu em chamas, em busca de mais. No último final de semana, os atos completaram um ano. A data foi marcada com incêndio causado por alguns manifestantes em duas Igrejas na Praça Itália.  

A aprovação de uma nova constituição tende visar a participação equitativa de mulheres na formulação da nova constituição, e também a diminuir a desigualdade social no país que, apesar de deter a maior renda per capita da América Latina, é um fator social muito marcante no Chile.