Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Estados Unidos

Se queixando de dor no pé, homem descobre câncer em estágio final

“Ele me disse que eu tinha quatro dias de vida”, relatou Richard Bernstein, cujo a história tem final surpreendente

Redação Publicado em 21/06/2022, às 17h35

O norte-americano Richard Bernstein, de 62 anos - Divulgação/ Arquivo Pessoal
O norte-americano Richard Bernstein, de 62 anos - Divulgação/ Arquivo Pessoal

Após anos se queixando de dores no dedão do pé direito, o norte-americano Richard Bernstein, de 62 anos, resolveu procurar um médico que pudesse acabar de vez com seus problemas. Entretanto, ao consultar o especialista, recebeu uma dura notícia: “Ele me disse que eu tinha quatro dias de vida”. 

O sujeito havia sido diagnosticado com um câncer em fase avançada. Por sorte, e competência da equipe médica, Richard acabou sendo operado e seu prognóstico foi revertido. 

A descoberta quase fatal

A saga de Richard Bernstein começou há cerca de 5 anos. Segundo relatado pelo jornal New York Post, na ocasião, ele passou a sentir uma dor no dedo do pé e desconfiava que havia fraturado algum osso. Ao procurar um podólogo, porém, nada de grave foi relatado. 

Entretanto, cerca de dois anos depois, as dores foram evoluindo, chegando até ao tornozelo. É então que Bernstein buscou ajuda na medicina esportiva. O especialista responsável pelo seu atendimento suspeitou que ele sofria de estenose, quando há um estreitamento dos espaços dentro da coluna. O problema, porém, poderia ser tratado com fisioterapia. 

O incômodo, entretanto, não foi resolvido e a dor passou a dificultar sua mobilidade. Em março deste ano, segundo a fonte, a perna direita de Richard ficou visivelmente inchada. Depois de se consultar com um clínico geral, o homem foi encaminhado até os cuidados de Michael Grasso, diretor de urologia do Hospital Phelps.

A dor que ele sentia no pé, entretanto, se deu devido a um câncer de rim. Um tumor foi encontrado no local e um trombo tumoral acabou crescendo por conta de sua veia renal e que preenchia a veia cava — a principal que drena sangue ao coração. 

Assim, Richard acabou sendo internado para o procedimento de remoção do tumor — considerado uma operação complexa. Como consequência da doença, seu quadro ficou ainda mais delicado quando exames pré-operatórios constataram que suas duas principais artérias estavam quase que completamente bloqueadas. Além do mais, seu fígado estava falhando.    

Após 12 horas, o procedimento médico foi executado com maestria. Após ficar três dias sedado, Richard Bernstein ainda ficou uma semana internado antes de deixar o hospital. Andando já sem ajuda, agora sua principal luta é para recuperar os 30 quilos que perdeu por conta da operação.

A equipe médica ainda acredita que todo o tumor foi removido do corpo de Bernstein, o que possibilita que ele não tenha que passar por tratamentos adicionais, como a quimioterapia.