Notícias » Brasil

Secretário da cultura critica reedição de Monteiro Lobato que suprime trechos racistas

Para Mário Frias e Sérgio Camargo, presidente da Fundação Palmares, a mudança é "uma vergonha", e "mutila a obra" do autor

Ingredi Brunato Publicado em 23/12/2020, às 13h00

Fotografia de Mário Frias
Fotografia de Mário Frias - Divulgação/ Instagram

Após a bisneta de Monteiro Lobato anunciar uma reedição da obra do célebre autor brasileiro trazendo modificações nos trechos considerados racistas, o Secretário da Cultura, Mário Frias, e Sérgio Camargo, presidente da Fundação Palmares, condenaram a decisão na rede social Twitter

Essa nova edição deletaria expressões como “trepou como uma macaca de carvão”, um trecho que está presente no livro “A Menina do Narizinho Arrebitado”, e se refere à personagem de Tia Nastácia, que é negra

Segundo o indignado presidente da instituição, que já se envolveu em outras polêmicas, “nenhum preto” teria pedido a “mutilação da obra” do escritor, que Camargo não acredita que seja racista. Para ele, os verdadeiros preconceituosos seriam os membros da esquerda, que ele também chamou de “ofendidinhos” e “afromimizentos”. 

De acordo com a Folha de São Paulo, Cleo Monteiro Lobato, bisneta do escritor, explicou o motivo por trás da mudança dizendo que: “A gente queria uma versão atualizada, cujo teor fosse compatível com os valores sociais contemporâneos, mas que mantivesse o estilo do Lobato”. 

Para o Secretário da Cultura, todavia, realizar essa edição é uma “vergonha”. “A esquerda mutila Monteiro Lobato e recomenda Felipe Neto para crianças”, completou ainda Sérgio Camargo.