Notícias » Mianmar

Secretário-geral da ONU pede fim da repressão militar em Mianmar

Em vídeo exibido na 46ª sessão do Conselho de Direitos Humanos da ONU, António Guterres pediu o término da violência

Giovanna Gomes Publicado em 22/02/2021, às 08h56

António Guterres, secretário-geral da ONU
António Guterres, secretário-geral da ONU - Wikimedia Commons

O recente golpe militar ocorrido em Mianmar tem sido reprovado por uma série de lideranças ao redor do mundo. Uma delas é António Guterres, o secretário-geral da ONU, que desde o dia 1 de fevereiro, quando foi anunciada a tomada do poder, se mostrou contrário à ação.

No último sábado, 20, o representante já havia condenado o uso da força letal, uma vez que duas pessoas teriam sido mortas durante um confronto entre manifestantes e a polícia, que disparou contra as pessoas. Na ocasião, Guterres escreveu em seu perfil em uma rede social: "Eu condeno o uso de violência letal em Mianmar". Ele também afirmou que “o uso de força letal, intimidação e assédio contra manifestantes pacíficos é inaceitável."

Agora, o secretário emitiu novamente uma declaração sobre o tema em um vídeo exibido na 46ª sessão do Conselho de Direitos Humanos da ONU. As informações são do portal de notícias UOL.

Nesta segunda-feira, 22, o homem pediu que o exército de Mianmar "pare a repressão imediatamente" e "liberte os prisioneiros," referindo-se à líder Aung San Suu Kyi, bem como a outras importantes personalidades do governo. Ele ainda pediu o fim da violência, além de que os militares respeitem os “direitos humanos e a vontade do povo expressada nas recentes eleições."