Notícias » China

Semelhante a Mao, Partido Comunista adota resolução que indica permanência de Xi Jinping

O Partido Comunista Chinês adotou o documento que coloca Jinping como figura central

Pedro Paulo Furlan, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 11/11/2021, às 18h00

Xi Jinping na comemoração de 100 anos do Partido Comunista Chinês
Xi Jinping na comemoração de 100 anos do Partido Comunista Chinês - Getty Images

Nesta quinta-feira, 11, a China adotou, pela primeira vez desde Deng Xiaoping, o sucessor do líder político Mao Tsé-Tung, uma nova resolução que, além de definir os caminhos para o futuro do Partido Comunista Chinês e contar sua história, solidifica a presença de Xi Jinping, atual presidente, como detentor do poder.

Contando com a presença dos 400 principais membros do comitê central do partido, a resolução, chamada de ‘histórica’, foi desenvolvida para mapear os novos passos da China, pois, segundo o documento, “o socialismo entrou em uma nova era” desde a posse de Jinping em 2012. 

O Partido e o povo lutaram durante um século, escrevendo a epopeia mais magnífica da história da nação chinesa em milênios", afirma a resolução sobre este novo momento.

Em 2022, o atual presidente da república chinesa poderá candidatar-se para um terceiro mandato, algo que nunca ocorreu desde Mao Tsé-Tung. A reeleição, então, só foi possibilitada depois de a China retirar os limites de dois mandatos por governante.

Segundo a cobertura do portal internacional BBC, especialistas acreditam que a resolução pode sinalizar uma procura por continuidade histórica na política de Xi Jinping, colocando-o como figura central do partido. Adam Ni, o editor do jornal chinês China Ni, opinou que tudo isto é uma demonstração de poder.

Solidificando uma resolução histórica que coloca ele como o centro da grande narrativa do partido e da China moderna, o senhor Xi está demonstrando seu poder. Mas o documento também é uma ferramenta para ajudá-lo a manter o poder”, declarou.