Notícias » Brasil

Sempre ao seu lado: Cachorro espera dona na porta de casa em SP por um mês e viaja para reencontrá-la

Mailon ficou 30 dias esperando o retorno de seus proprietários, mas eles haviam se mudado para o Ceará; serviço de viagem para animais possibilitou reencontro emocionante

Redação Publicado em 26/07/2021, às 16h15

Imagem do cachorro e sua dona Maria da Paz
Imagem do cachorro e sua dona Maria da Paz - Divulgação/Arquivo Pessoal

Por um mês, o cachorro Mailon esperou na porta de sua antiga casa pelo retorno de sua dona. Maria da Paz Oliveira da Silva, no entanto, havia se mudado de São Paulo para o Ceará após passar por dificuldades financeiras causadas pela pandemia do coronavírus.

O animal tinha sido deixado temporariamente com familiares da proprietária, até que ela pudesse leva-lo para Ibiapina, no sertão do Ceará. Por 30 dias, o cão esperou na entrada de casa, ficava agressivo caso alguém quisesse levá-lo para outro local.

Engajadas na luta contra o abandono e maus-tratos, Helen Baum e Miriam Reis resgataram Mailon e o colocaram em um abrigo para animais. Lá, o cachorro começou a ficar deprimido, e a dupla decidiu que havia apenas uma coisa a se fazer.

“Eu tinha outros três cães em casa, mas não podia deixar o Mailon em depressão. No começo, foi tudo bem. Mas depois de alguns dias, começaram a acontecer algumas brigas entre Mailon e os meus cães. Uma vez, na tentativa de separá-los, acabei sendo mordida. Ele estava muito estressado”, contou Miriam ao UOL.

A partir de então, as mulheres começaram um projeto para arrecadar dinheiro e levar Mailon para sua família. No último dia 17 de julho, o cachorro partiu em um serviço conhecido como táxi dog.

Cinco dias mais tarde, mais de 4 mil km de distância, o cão desembarcou em sua nova casa, ao lado da dona, Maria. “É muito amor que a gente sente um pelo outro. Ele me segue para todos os lugares, está calmo, carinhoso. São 10 anos de amizade, desde que peguei ele bebezinho, ainda com o cordão umbilical pendurado. Hoje, quando saio para trabalhar, saio escondido para ele não estranhar. E quando eu volto, é aquela alegria que só a gente sentindo para saber”, disse ela ao UOL.