Notícias » Brasil

Senador compara fala de Eduardo Bolsonaro sobre AI-5 com culto ao nazismo

Randolfe Rodrigues (Rede-AP) fez um pedido de cassação do mandato do deputado federal após a afirmação feita em entrevista à jornalista Leda Nagle

Isabela Barreiros Publicado em 05/11/2019, às 15h00

Eduardo Bolsonaro, deputado federal pelo PSL de São Paulo
Eduardo Bolsonaro, deputado federal pelo PSL de São Paulo - Getty Images

Ontem, 4, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) fez um pedido de cassação ao mandato de Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) no Conselho de Ética da Câmara. O documento foi protocolado após declaração sobre “novo AI-5” do filho do presidente em entrevista à jornalista Leda Nagle na última quinta-feira, 31.

“Se nós cogitarmos a possibilidade de que alguém pode arguir o retorno aos piores momentos da história nacional ou pode fazer sedição à ruptura da ordem democrática, teríamos de admitir que em outros países, como na Alemanha fosse tolerável o culto ao nazismo”, disse Rodrigues.

Eduardo Bolsonaro fez um pedido de desculpas à afirmação de que “se a esquerda radicalizar a esse ponto [...] uma resposta pode ser via um novo AI-5”. Ainda assim, o senador acredita que isso não muda nada. “Esse tem sido o modo de operação de pessoas do governo, atenta contra a democracia de manhã e pede desculpas à tarde. Não podemos mais permitir que isso continue, ele precisa pagar pelo atentado à democracia que cometeu”, afirmou.

Segundo Rodrigues, houve “quebra de decoro parlamentar”. Ele ainda afirma que o deputado atentou a democracia brasileira com a sua fala.