Notícias » Ciência

Setembro de 2020 foi o mês mais quente já registrado, afirmam especialistas

De acordo com serviço de mudança climática europeu, temperaturas muito altas foram notadas em diferentes partes do mundo

Penélope Coelho Publicado em 07/10/2020, às 09h54

Imagem meramente ilustrativa do Sol
Imagem meramente ilustrativa do Sol - Pixabay

Um estudo liderado pelo Serviço de Mudança Climática Copernicus da União Europeia revelou que o último mês foi o setembro mais quente da história, os especialistas afirmaram que temperaturas extremamente altas foram registradas na Sibéria, Oriente Médio e em algumas partes da América do Sul e Austrália. As informações são da agência de notícias Reuters e foram divulgadas pelo G1.

De acordo com a publicação, no mundo todo, setembro de 2020 foi 0,05ºC mais quente do que o mesmo mês no ano de 2019. Além disso, segundo os dados da Copernicus, os últimos cinco anos tiveram as temperaturas mais altas já registradas em um contexto global.

Segundo os especialistas, as altas temperaturas que ocorreram durante este ano tiveram um papel crucial nos desastres naturais que estão acontecendo no mundo, desde incêndios na Califórnia até inundações na Ásia estão relacionadas ao clima excepcionalmente quente.

“A Terra aqueceu muito e continuará aquecendo se as emissões de gases de efeito estufa continuarem no ritmo que estão no momento", pontuou o cientista sênior da Copernicus, Freja Vamborg, em entrevista para a Reuters.

Ainda segundo os pesquisadores, nesses três últimos meses do ano, alguns eventos climáticos como o fenômeno La Niña e os baixos níveis de gelo marinho do Ártico, serão fatores que podem determinar se 2020 será ao todo o ano mais quente já registrado no mundo.