Notícias » Arqueologia

Símbolo de riqueza: Pesquisadores encontram, em Israel, banheiro de 2,7 mil anos

Descoberta pode ajudar na compreensão de importantes características da sociedade da época; entenda!

Fabio Previdelli Publicado em 06/10/2021, às 09h55

Pesquisadores analisando a descoberta
Pesquisadores analisando a descoberta - Divulgação/Israel Antiquities Authority

Conforme noticiado pela Galileu, na última terça-feira, 5, a Autoridade de Antiguidades de Israel informou que um banheiro, datado em mais de 2,7 mil anos, foi encontrado na capital do país, Jerusalém. 

O cômodo é considerado um símbolo de riqueza na Antiguidade. As autoridades disseram que o ambiente foi esculpido em calcário liso, sendo idealizado para oferecer conforto ao usuário. Embaixo da estrutura havia uma fossa cavada.  

O banheiro pertencia a uma mansão que tinha vista para a Cidade Antiga de Jerusalém — o cômodo ficava em uma cabana da residência. 

"Um cubículo privado de banheiro era muito raro na Antiguidade, e apenas alguns foram encontrados até o momento", explica o diretor da escavação, Yaakov Billig

Billig revela que o ambiente é considerado um “luxo” para a época, pois só os ricos possuíam condições para ter tal comodidade. Além do mais, uma descoberta no espaço pode ajudar os pesquisadores a terem uma compreensão maior daquele período.  

Parte de construção encontrada no local/Crédito: Israel Antiquities Authority

 

Afinal, na fossa do banheiro, foram achados ossos de animais e cerâmicas, o que poderá ajudar a definir o que as pessoas comiam naquela época e seu estilo de vida. Também foram descobertas evidências de que as redondezas do local abrigavam um jardim com pomares e plantas aquáticas, o que reforça o pensamento de que a mansão pertencia a uma pessoa muito rica.  

Sobre arqueologia

Descobertas arqueológicas milenares sempre impressionam, pois, além de revelar objetos inestimáveis, elas também, de certa forma, nos ensinam sobre como tal sociedade estudada se desenvolveu e se consolidou ao longo da história. 

Sem dúvida nenhuma, uma das que mais chamam a atenção ainda hoje é a dos egípcios antigos. Permeados por crendices em supostas maldições e pela completa admiração em grandes figuras como Cleópatrae Tutancâmon, o Egito gera curiosidade por ser berço de uma das civilizações que foram uma das bases da história humana e, principalmente, pelos diversos achados de pesquisadores e arqueólogos nas últimas décadas.