Notícias » Personagem

Sinead O’Connor relembra agressão de Prince: 'Há uma diferença entre ser louco e ser um violento abusador de mulheres'

O episódio é citado na obra Rememberings, lançada recentemente pela artista

Redação Publicado em 15/06/2021, às 17h11

Cena do clipe Nothing Compares 2 U
Cena do clipe Nothing Compares 2 U - Divulgação/Vídeo/Youtube/

Na obra Rememberings, a talentosa cantora Sinead O’Connor relembra duros capítulos que compreendem não só a carreira, que rendeu a icônica ‘Nothing Compares 2 U’, mas também a turbulenta vida íntima.

Um desses episódios compreende uma denúncia contra o astro Prince, responsável pelo hit Purple Rain e também pela composição da canção de maior sucesso de Sinead, citada acima.

Denúncia de agressão

Conforme descrito pelo New York Times, O’Connor descreve uma agressão cometida pelo artista. Segundo a artista, tudo aconteceu quando Prince a convocou para ir até sua mansão, localizada em Hollywood.

Já no local, chamou a atenção de Sinead por falar palavrões durante participações em entrevistas. Desconfortável, a cantora também descreve outra situação que a incomodou. O astro a ofereceu sopa, e embora tivesse recusado o prato inúmeras vezes, o mordomo recebeu a ordem a servir a refeição.

Contudo, a situação realmente saiu de controle durante uma briga de travesseiros. A artista diz que apesar do tom doce de Prince, ela acabou sendo atingida por algo que fora inserido dentro da fronha do travesseiro.

Fuga 

Assustada, ela fugiu da casa do cantor. Já no meio da noite, se deparou com o artista a perseguindo num automóvel. Ele, ao largar o veículo, acabou por perseguir Sinead enquanto corria numa estrada.

"Você tem que ser louco para ser um músico," explicou a cantora. "Mas há uma diferença entre ser louco e ser um violento abusador de mulheres". 

Em 2019, a cantora já havia falado sobre o episódio em entrevista ao programa Good Morning Britain. “Foi uma experiência muito assustadora. Ele me chamou para sua casa em Los Angeles e fui sozinha. Ele ficou desconfortável com o fato de eu não ser uma de suas protegidas”.