Notícias » Arqueologia

Sistema de purificação de água de 2 mil anos é revelado em cidade maia da Guatemala

Esse foi considerado um dos mais antigos sistemas hidráulicos do mundo e o primeiro a ser descoberto nas Américas

Giovanna de Matteo Publicado em 27/10/2020, às 11h21

Cidade de Tikal, antigamente habitada pelos maias, localizada na atual Guatemala
Cidade de Tikal, antigamente habitada pelos maias, localizada na atual Guatemala - Wikimedia commons

Antigos sistemas hidráulicos foram descobertos em Tikal, uma antiga cidade ocupada pelos maias, localizada onde hoje é a atual Guatemala. A revista Scientific Reports divulgou na última quinta-feira, 22, a pesquisa que descobriu os surpreendentes canos de infiltração de água, e foi realizada por cientistas da Universidade de Cincinnati, nos Estados Unidos.

O sistema de purificação de água foi feito pelos habitantes da cidade há 2 mil anos, utilizando diversos materiais naturais que teriam sido importados à distância. Os canos consistiam em uma mistura de cristais de quartzo cristalino e zeólito (um composto de silício e alumínio), que formavam uma espécie de "peneira molecular" natural e primitiva. 

Os especialistas afirmaram que o sistema funcionava como eles esperavam, possuindo as qualidades necessárias para remover micróbios, metais pesados - como o mercúrio - compostos ricos em nitrogênio e outras toxinas.

Os maias já haviam construído essa estrutura de filtragem há quase 2 mil anos. Sendo assim, esse foi considerado um dos mais antigos sistemas hidráulicos do mundo. "O que é interessante é que esse sistema ainda seria eficaz hoje e as maias o descobriram há mais de 2 mil anos", disse Kenneth Barnett Tankersley, em comunicado .

A equipe rastreou os materiais usados até as cristas íngremes que se encontram ao redor do Bajo de Azúcar. Acredita-se que a necessidade de armazenar água pura para esses povos fez com que avanços desse tipo fossem possíveis, pois Tikal, assim como outras cidades, foram erguidas sobre calcário poroso, o que dificultava o acesso a água potável durante as secas sazonais.

"Provavelmente foi por meio de observação empírica muito inteligente que os antigos perceberam que esse material em particular estava associado à água limpa e fez algum esforço para carregá-lo de volta [para Tikal]", afirmou Nicholas Dunning, coautor do estudo. "Eles tinham tanques de decantação por onde a água fluía em direção ao reservatório antes de entrar nele. A água provavelmente limpa mais e provavelmente tinha um gosto melhor também".

Sistemas parecidos de filtragem já tinham sido descobertos em outras civilizações antigas, como na Europa, no Norte da África e no Sul da Ásia, porém, essa descoberta é especial por ser a primeira vez que um sistema do tipo é encontrado nas Américas. "Os antigos maias viviam em um ambiente tropical e tinham que ser inovadores. Essa é uma inovação notável", garantiu Tankersley