Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Guerra na Ucrânia

Soldado russo denuncia propaganda do Kremlin: 'É tudo mentira'

O paraquedista militar Pavel Filatyev deu uma entrevista para CNN em que falou sobre suas experiências na guerra na Ucrânia

Redação Publicado em 24/08/2022, às 12h13

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Pavel Filatyev em entrevista à CNN - Reprodução/Vídeo/CNN
Pavel Filatyev em entrevista à CNN - Reprodução/Vídeo/CNN

O paraquedista russo, Pavel Filatyev, concedeu uma entrevista exclusiva à CNN contando sobre a invasão da Rússia à Ucrânia, que completa seis meses nesta quarta-feira, 24. Na entrevista, ele dá fortes declarações, afirmando que o pretexto do Kremlin para invadir a Ucrânia "é uma mentira". 

O paraquedista já havia se manifestado sobre o conflito entre os países há duas semanas, postando um depoimento de 141 páginas na rede social VKontakte, contando alguns detalhes sobre a guerra.

No depoimento, ele se mostra ser contra todo o conflito gerado entre os países, se tornando o primeiro membro do exército russo a realizar uma crítica pública em relação à invasão na Ucrânia e o primeiro a conseguir deixar o seu país.

Ainda segundo o paraquedista, a guerra do Kremlin está "destruindo vidas" e deixando os outros membros do exército cansados, famintos e desesperançados. 

Filatyev entende que os membros do exército foram convocados para realizar um conflito sério entre os países, mas argumenta que ele e seus companheiros não estão libertando ninguém, e sim "simplesmente destruindo cidades". 

Muitos entenderam que não vemos a razão que nosso governo está tentando nos explicar. Que é tudo uma mentira. Estamos apenas destruindo vidas pacíficas. Esse fato influenciou imensamente nosso estado de espírito. Aquela sensação de que não estamos fazendo nada de bom”, disse ele.

O paraquedista de 33 anos disse que sua unidade permaneceu na Ucrânia após invadirem a cidade de Kherson no início do conflito. Os soldados, porém, não contavam com equipamentos básicos, como drones e aeronaves não tripuladas, e não sabiam de fato qual plano seguir no local. 

Pavel afirmou que já prestou serviços em outros conflitos da Rússia, porém, acabou sendo retirado da linha de frente devido a uma lesão que sofreu durante a invasão ao território ucraniano.  

Ataque em Kherson

Mesmo passando por dificuldades antes do ataque na cidade ucraniana, a armadilha na cidade em Kherson foi um sucesso para a Rússia, de forma que a Ucrânia ainda tenta recuperar a cidade que sofreu sérios danos.

Mesmo com a armadilha dando certo, Filatyev contou sobre as dificuldades que os militares passaram durante o tempo na cidade.

Vários dias depois de cercarmos Kherson, muitos de nós não tínhamos comida, água ou sacos de dormir. Como fazia muito frio à noite, não conseguíamos nem dormir. Achávamos uns sacos de lixo, uns trapos, só para nos embrulhar para nos aquecer”.

Agora que não faz mais parte da guerra entre os países, para Filatyev essa é a "pior e mais estúpida coisa que nosso governo poderia ter feito”.

Após realizar algumas entrevistas, Filatyev conseguiu fugir da Rússia. Mas devido a essas fortes declarações que contou publicamente, ele acredita que Kremlin poderá se vingar. “Ou serei colocado na prisão ou eles simplesmente me silenciarão ao me ‘apagarem’."


O site Aventuras na História está no Helo! Não fique de fora e siga agora mesmo para acessar os principais assuntos do momento e reportagens especiais. Clique aqui para seguir.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!