Notícias » Brasil

"Sou inocente, não mandei matar meu marido”, diz Flordelis em reunião do Conselho de Ética

Além disso, a parlamentar disse que sua reputação sofreu um “assassinato” e que não teve “um único momento de paz” nesses últimos dois anos

Fabio Previdelli Publicado em 18/03/2021, às 12h22

Flordelis e Anderson do Carmo
Flordelis e Anderson do Carmo - Divulgação

Durante Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, que aconteceu na última terça-feira, 16, a deputada federal Flordelis voltou a alegar inocência em relação ao assassinato de seu marido Anderson do Carmo, que foi morto a tiros na casa de sua família em 16 de junho de 2019. Segundo acusações do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ), a deputada teria sido a mandante do crime.

Segundo informações do UOL, além de se dizer inocente, Flordelis alega que está sofrendo uma “perseguição implacável” e diz não ter tido “um único momento de paz” nesses últimos dois anos. 

"Sou inocente, não mandei matar meu marido. Não participei de nenhum ato de conspiração contra a vida do homem que foi meu companheiro por muitos anos, mais de 20 anos", declarou a parlamentar ao dizer que seu companheiro era “muito mais do que meu marido, era meu amigo”, alegando que eles eram “inseparáveis”. 

Flordelis ainda disser que houve um “assassinato” contra sua reputação e recordou não foi condenada pela justiça, visto que seu julgamento ainda está em andamento. Mesmo assim, pede para que seus colegas parlamentares a vejam como mulher e mãe, antes de uma deputada, e “não cometam nenhuma injustiça”.  

“Tenho o direito de ter minha dignidade preservada”, declarou ao afirmar que nunca se esquivou do processo na Justiça e que também nunca se aproveitou de suas prerrogativas como parlamentar.