Notícias » Entretenimento

Spike Lee tem dúvidas sobre autoria dos ataques do 11 de setembro nos EUA

Diretor se prepara para lançar uma série sobre o atentado e a pandemia de covid-19

Redação Publicado em 26/08/2021, às 09h33

Spike Lee durante cerimônia do Oscar 2019 e gravação do atentado
Spike Lee durante cerimônia do Oscar 2019 e gravação do atentado - Getty Images e Divulgação/Vídeo/Youtube

De acordo com informações do site Variety, o diretor de Hollywood Spike Leeestá reeditando o último episódio de sua série documental “NYC Epicenters: 9/11 -2021½”, que teve estreia na HBO no último domingo, 22.

A produção, que trata sobre os ataques do 11 de setembro e da pandemia que vivemos atualmente, conta com diversos depoimentos de testemunhas, como socorristas, políticos e jornalistas.

“Estou de volta à sala de edição e olhando para o oitavo e último episódio de 'NYC EPICENTERS 9 / 11-2021½.' Peço respeitosamente que você segure seu julgamento até ver o corte final”, declarou Lee em um comunicado divulgado pela HBO.

O diretor afirma que a decisão de realizar uma reedição surgiu após uma entrevista ao New York Times na qual ele afirmou ainda ter “dúvidas” sobre o que de fato aconteceu em 11 de setembro.

"Quer dizer, eu tenho perguntas. E eu espero que o legado deste documentário seja uma audiência no congresso sobre o 11 de Setembro", explicou ele em conversa com a revista Time.

"A quantidade de calor necessária para fazer o aço derreter, essa temperatura não foi atingida. E a justaposição de como o edifício 7 caiu, se olhares para como colapsam os edifícios nas demolições controladas, é olhar para a mesma coisa. Mas as pessoas vão decidir", diz Lee. 

Assim, a primeira edição do episódio, que chegou a ser distribuída para a imprensa, contava com relatos de integrantes de um grupo que defendia teorias da conspiração.

Lee afirmou ao jornal que não acredita na explicação oficial do governo para o que aconteceu naquele dia, porém explica que deixaria as pessoas tirarem suas próprias conclusões.

“As pessoas vão tomar suas próprias decisões. Minha abordagem é colocar a informação no filme e deixar que as pessoas decidam por si mesmas. Respeito a inteligência do público ”, declarou.