Notícias » Tecnologia

Startup quer que humanos tenham sensação do tato no metaverso

Proposta de empresa japonesa é tirar os limites sensoriais de ambiente virtual; entenda

Alan de Oliveira | @baco.deoli sob supervisão de Penélope Coelho Publicado em 12/04/2022, às 14h25

Imagem meramente ilustrativa
Imagem meramente ilustrativa - Getty Images

Através de uma pulseira com sensores que detectam a flexão dos músculos do corpo humano com resposta de estímulos elétricos, este dispositivo consegue imitar as sensações de dores humanas. Essa é a proposta ousada da startup japonesa 'H2L', com apoio da 'Sony', em busca desse passo de integridade física, vinculada ao mundo virtual.

"Sentir dor nos permite transformar o mundo metaverso em um mundo real, com maiores sentimentos de presença e imersão", disse Emi Tamaki, diretora-executiva e cofundador da empresa com sede em Tóquio.

Custando 9.980 ienes, aproxidamente R$ 370 na conversão atual da moeda, a tecnologia começou a ser comercializada no país.

Veja o vídeo de apresentação:

Ao usar o aparelho, a promessa é que os avatares que circulam pelo mundo virtual consigam replicar os movimentos do usuário ao longo da imersão no mundo digital. Assim, por exemplo, uma pessoa pode pegar uma bola em um ambiente virtual, sentir seu peso e a sensação física de segurá-la.

"Pessoas como eu, que não podem sair com frequência, porque não têm músculos suficientes devido a uma doença cardíaca, podem viajar para qualquer lugar, a qualquer hora", afirma usuário.

De acordo com as palavras do diretor, o objetivo é "libertar os humanos das limitações de espaço, tempo e corpo" até 2029.