Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Entretenimento

Stranger Things: 'Russofobia' e 'anticomunismo' na série incomodam internautas

Nova temporada de uma das séries de maior sucesso da Netflix estreou na última sexta-feira, 27

Fabio Previdelli Publicado em 30/05/2022, às 11h31

Cena da nova temporada de Stranger Things - Divulgação/ Netflix
Cena da nova temporada de Stranger Things - Divulgação/ Netflix

A espera finalmente acabou. Após cerca de três anos, a quarta temporada de Stranger Things finalmente estreou no catálogo da Netflix na última sexta-feira, 27. Como é de se imaginar, a produção é um dos assuntos mais discutidos atualmente na internet. 

Se por um lado muito se tem elogiado a narrativa mais madura e aterrorizante desta primeira parte do quarto ano; por outro, muito se vem discutindo a contextualização histórica da trama, que se passa na segunda metade dos anos 1980. (A partir de agora o texto contém spoilers sobre a nova temporada de ‘Stranger Things’).

Cena da nova temporada de Stranger Things / Crédito: Divulgação/ Netflix

Com os novos episódios da série, descobrimos que o chefe de polícia Jim Hooper não morreu ao fim temporada passada, mas sim que foi capturado pelos russos e enviado a um presídio ultrassecreto no país.

Como a trama se desenvolve no auge da Guerra Fria, os russos são tratados como inimigos americanos — assim como em grande partes de filmes da época —, embora essa discussão não seja o ponto central da trama. 

Mas o que vem incomodando alguns internautas é justamente essa forma caricata e demonizada que os russos vêm sendo demonstrados: desumanizados, brutais, frios e que fazem tudo pelo dinheiro — até mesmo trair seus compatriotas. 

O que levou muitos usuários do Twitter a apontarem traços de anticomunismo na nova temporada da série:

As reclamações consistem não apenas na estereotipização dos personagens, mas também na diferença visual quando os dois cenários (URSS e EUA) são mostrados em cena: com a Rússia comunista sempre sendo mostrada em um cenário com cores 'mortas', enquanto os Estados Unidos sempre aparecem com uma paleta mais colorida e alegre. 

Cena da nova temporada de Stranger Things / Crédito: Divulgação/ Netflix

Por fim, existem também aqueles que não enxergam a série apenas como uma crítica exclusiva aos soviéticos e ao comunismo, mas que, de modo geral, ela aponte problemas em ambos as esferas políticas, como por exemplo o governo americano, que passa por cima de qualquer padrão ético para fazer testes em crianças.

Mas tem gente que não comprou muito bem essa narrativa: