Notícias » São Paulo

Suspeito de incendiar estátua de Borba Gato tem prisão temporária decretada

De acordo com o investigado, Paulo Galo, a intenção do ato foi iniciar um debate

Penélope Coelho Publicado em 29/07/2021, às 12h00

Incêndio da estátua de Borba Gato visto de cima
Incêndio da estátua de Borba Gato visto de cima - Divulgação/Twitter/Brasil Wire

De acordo com informações publicadas na última quarta-feira, 28, pelo G1, a Justiça do estado de São Paulo determinou a prisão temporária de um homem suspeito de ter participado do ato que colocou fogo na estátua do bandeirante Borba Gato, em Santo Amaro, Zona Sul de São Paulo.

Paulo Roberto da Silva Lima, conhecido como Paulo Galo, teve a prisão anunciada logo depois de se apresentar no 11º Distrito Policial, na ocasião, o homem confessou participação do ato, que aconteceu no último sábado, 24. A esposa de Galo, Paula da Silva Barbosa, também teve a prisão preventiva determinada, de acordo com a defesa, a mulher não teve participação ativa no protesto.

Segundo o investigado, a intenção era abrir um debate sobre o tema. Sabe-se que Borba Gato, assim como outros bandeirantes, capturava e escravizava indígenas e negros, durante desbravamento de territórios.

"Para aqueles que dizem que a gente precisa ir por meios democráticos, o objetivo do ato foi abrir o debate. Agora, as pessoas decidem se elas querem uma estátua de 13 metros de altura de um genocida e abusador de mulheres", afirmou Paulo.