Notícias » Grécia

Tábuas de 2.500 anos, usadas para amaldiçoar pessoas mortas, são encontradas em Atenas

Os objetos, utilizados por diversas razões, tinham a intenção de não deixar os inimigos encontrarem descanso pós-vida

Caio Tortamano Publicado em 11/02/2020, às 14h41

Tábuas usadas para amaldiçoar os mortos
Tábuas usadas para amaldiçoar os mortos - Divulgação/German Archeological Institute

Na cidade grega de Atenas, pesquisadores encontraram 30 tábuas de chumbo, com insólitos pedidos para que os deuses do submundo lançassem maldições para os inimigos indesejados. As relíquias foram encontradas no fundo de um poço, e serviam para amaldiçoar a alma dos rivais. Assim, nunca encontrariam o tão desejado descanso pós-morte.

A doutora Jutta Stroszeck, responsável pela escavação, afirmou que a pessoa que pede pela maldição nunca é mencionada, enquanto o afetado é sempre nomeado. De acordo com especialistas, as quatro razões para a tétrica prática são: maldizer alguém, para ganhar alguma causa na justiça, para prosperar em um negócio, em função de ganhos esportivos e para problemas genéricos de amor e ódio.

Tábuas usadas para amaldiçoar os mortos/ Divulgação - German Archeological Institute

 

Além dos itens mágicos, as escavações revelaram vasos, recipientes de mistura de vinho, candelabros, uma polia de madeira, moedas de bronze e restos orgânicos.

Outros artefatos encontrados no poço / Crédito: Divulgação - German Archeological Institute

 

Depois de uma lei promovida em 300 A.C., a prática de magia negra (descritas nas placas) foi extremamente proibida, então os praticantes tiveram que procurar novos métodos de falar com o submundo. Os poços, aparentemente, teriam sido uma dessas novas maneiras de mandar mensagens para o além.