Notícias » Afeganistão

Talibã diz que mulheres terão direitos preservados "dentro dos limites do Islã"

A declaração foi dada por um porta-voz do grupo em entrevista a apresentadora de TV

Redação Publicado em 18/08/2021, às 12h16

Mulheres e crianças afegãs
Mulheres e crianças afegãs - Getty Images

Um porta-voz do Talibã afirmou, em entrevista realizada na última terça-feira, 17, que os direitos das mulheres afegãs seriam preservados, porém dentro dos limites da religião islâmica. A declaração foi feita a uma mulher, a única apresentadora de TV do sexo feminino no país. As informações foram repercutidas pelo portal de notícias G1. 

O grupo fundamentalista vem tentando passar a imagem de que os talibãs agora possuem uma política mais moderada do que a observada entre os anos de 1996 e 2001, período em que o Afeganistão foi comandado por eles.

Na entrevista, o porta-voz Zabihullah Mujahid disse que as mulheres são parte essencial da sociedade, porém, ressaltou: "Vamos garantir todos os direitos delas dentro dos limites do Islã".

De acordo com uma professora entrevistada, na província de Takhar, as mulheres já estão sendo proibidas de sair sem a companhia de um parente do sexo masculino, até mesmo para realizar tarefas simples como ir ao mercado.

Ela alerta que muitas viúvas acabarão morrendo devido a essa imposição, uma vez que não há quem cuide delas.

Uma ativista dos direitos das mulheres chegou a dizer que se reuniu com suas amigas para conversar sobre o futuro, mas acredita que, em breve, será morta pelo Talibã.

Também a representante do parlamento afegão, Farzana Kochai, revelou estar preocupada com os últimos desdobramentos no país: "Tenho medo de perder a vida e a liberdade de trabalhar e falar o que penso. E se você não pode trabalhar, falar, sair, não pode dizer que tem uma vida".