Notícias » Afeganistão

Talibã permite que 200 pessoas, incluindo estadunidenses, embarquem em avião comercial para o Catar

A informação foi divulgada nesta quinta-feira, 9

Luíza Feniar Migliosi Publicado em 09/09/2021, às 10h11

Aeroporto de Cabul durante uma evacuação em agosto
Aeroporto de Cabul durante uma evacuação em agosto - Getty Images

Cerca de 200 pessoas, incluindo cidadãos americanos, foram liberadas pelo Talibã para deixar Cabul em um voo comercial para o Catar, disse uma fonte à CNN na quinta-feira, 9. Não foi informado quantas pessoas e suas nacionalidades estão embarcando com destino a Doha.

Esse será o primeiro voo comercial a partir do aeroporto internacional de Cabul desde que o Talibã assumiu o controle do país em meados de agosto. Vários passageiros que esperam para fazer o check-in da companhia aérea Qatar Airways disseram que seu destino é o Canadá.

Mawlawi Amir Khan Muttaki, ministro das Relações Exteriores em exercício do Talibã, agradeceu ao enviado especial do Catar Mutlaq Al-Qahtani pelos esforços de seu país para reiniciar voos saindo do Aeroporto Internacional de Cabul, em um comunicado publicado na conta oficial.

O acordo do Talibã para que cerca de 200 pessoas partissem em na aeronave fretada veio depois que o representante especial dos EUA para o Afeganistão, Zalmay Khalilzad, pressionou o grupo para permitir a partida, de acordo com uma autoridade estadunidense em entrevista à CNN.

O secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, culpou, na quarta-feira, 8, o encalhe dos voos em Mazar-i-Sharif, no norte do Afeganistão, ao Talibã, dizendo que o grupo militante não estava permitindo que eles partissem.

O porta-voz do Talibã, Zabihullah Mujahid, disse, na segunda-feira, que o Talibã estava trabalhando para fazer o aeroporto de Cabul "voltar ao normal" o mais rápido possível após a retirada das forças americanas.

De acordo com Mujahid, o progresso foi retardado pelos danos causados ​​às instalações do radar. "Os americanos danificaram o radar e leva tempo para consertar", acrescentou. Segundo ele, os EUA "destruíram deliberadamente partes definidas do aeroporto".

Além disso, Mujahid afirmou que o grupo contratou uma "equipe técnica do Catar e da Turquia" para ajudar a restaurar as capacidades, acrescentando que uma empresa dos Emirados Árabes Unidos também estava estacionada lá.

O ministro das Relações Exteriores do Catar, xeque Mohammed al Thani, disse que o aeroporto de Cabul entraria em operação "muito em breve", depois que suas equipes técnicas pudessem "consertar muitos elementos".

No entanto, um acordo sobre a gestão ainda não foi alcançado com o Talibã, afirmou. Além disso, o ministro acrescentou que voos com ajuda humanitária já aterrissaram.