Notícias » Ucrânia

Teatro que abriga civis foi bombardeado pelos russos, acusa Ucrânia

A Rússia foi acusada de um ‘crime de guerra’ após o ataque no prédio que estaria alojando crianças e idosos

Redação Publicado em 17/03/2022, às 07h44

O teatro destruído em Mariupol, na Ucrânia
O teatro destruído em Mariupol, na Ucrânia - Divulgação/Vídeo/BBC

As forças do governo de Vladimir Putin estão sendo acusadas pela Ucrânia de terem bombardeado um teatro onde civis estariam sendo abrigados, situado na cidade de Mariupol, ao sul do país.

Ainda não está claro o número de vítimas do ataque russo nem a quantidade de pessoas que estariam no interior da propriedade, mas segundo o vice-prefeito de Mariupol, Sergei Orlov, entre 1.000 e 1.200 pessoas estariam buscando refúgio no local.

Quanto aos mortos, o parlamentar local Dmytro Gurin informou que “parece que a maioria deles sobreviveu", acrescentando que o porão onde eles estavam reunidos resistiu ao bombardeio.

De acordo com o conselho da cidade de Mariupol, em comunicado, as forças russas “destruíram deliberadamente e cinicamente” o teatro. Um “avião lançou uma bomba em um prédio onde centenas de moradores pacíficos de Mariupol estavam escondidos”, relataram.

Após o ataque, a Rússia foi acusada de um “crime de guerra” pelo ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, e pelo conselho da cidade. O presidente do país, Volodymyr Zelensky, também denunciou a situação.

Em um discurso gravado publicado na quarta-feira, 16, o político ucraniano afirmou: "Nossos corações estão partidos pelo que a Rússia está fazendo com nosso povo. Com nossa Mariupol".

Como reportou a BBC News, imagens de satélite do teatro mostravam que pessoas haviam colocado no chão em letras grandes a palavra russa para “crianças” com o intuito de afastar os jatos russos da construção. O prédio estaria abrigando crianças e idosos.