Notícias » Curiosidades

Teggie, "irmão" do monstro do Lago Ness, provoca debate no País de Gales

Algumas pessoas estão reabrindo um debate a respeito de um monstro que viveria no lago Llyn Tegid

Giovanna de Matteo Publicado em 01/12/2020, às 09h47

Apelidado como Teggie, o monstro ficou famoso por sua "aparições" em Llyn Tegid, no País de Gales
Apelidado como Teggie, o monstro ficou famoso por sua "aparições" em Llyn Tegid, no País de Gales - Divulgação/Twitter/CryptidQuest

Há séculos, mais especificamente desde o século 6, uma lenda a respeito de um monstro gigante que vive nas águas profundas do Lago Ness, na Escócia, permeia os habitantes da cidade e intriga os turistas até hoje.

As histórias sobre o 'monstro do Lago Ness' ficaram tão famosas, que no final do século 20 uma emissora de TV local fez uma reportagem sobre, e chegou a oferecer até 20 mil libras para quem conseguisse "capturar" o animal gigante.

Agora, uma história como essa ressurge em outro lugar. No País de Gales, as pessoas estão reabrindo um debate a respeito de um monstro que viveria no lago Llyn Tegid, que assim como Ness, também apareceria para assustar as pessoas. Diante da narrativa, o bicho logo ficou conhecido como o seu "irmão".

O animal seria uma criatura gigante, ainda não estudada pela ciência. Ele foi apelidado de "Teggie" e, segundo alguns  turistas, a sua primeira aparição foi em 1975. Os relatos dizem que o monstro exibia características muito parecidas com a de um crocodilo, e poderia chegar até 3,5 metros de comprimento.

Uma pessoa que trabalhava nos cuidados do lago já afirmou ter visto Teggie uma vez, há muito tempo: "De repente, vi um objeto acinzentado se movendo na água. Fosse o que fosse, tinha 2,5 metros de comprimento e uma pequena protuberância no meio. Estava se movendo em direção à costa de Llanycil ", conta Dewi Bowen.

Outra pessoa, que foi identificada pelo The Sun como B Vickers, disse ter tido um encontro com o monstro enquanto estava sentado em uma das pedras que ficam à beira do lago. Segundo ele, o bicho estava a cerca de vinte metros dele, quando tirou sua cabeça e pescoço negros transparentes da água, e olhou diretamente para o homem.

De acordo com o autor de "Bestas da Grã-Bretanha", Andy McGrath, que coletou para seu livro mais sete testemunhas oculares de Teggie, apenas uma razão poderia explicar a sobrevivência desses "monstros" por tantos anos.

"Tenho uma teoria de que essas criaturas povoam a maioria dos lagos, rios e canais costeiros do Reino Unido e que, como animais anfíbios [que vivem na terra e na água], podem se mover sobre a terra quando necessário para se alimentar ou se reproduzir em outros corpos de água ou usar rios, que se conectam a outros lagos e ao mar, para encontrar áreas de alimentação frescas ou um companheiro", afirma McGrath

O Llyn Tegid, ou Lago Bala, como também é conhecido, tem cerca de 6km de comprimento, 800 metros de largura e 40 metros de profundidade.

A famosa imagem de Ness

Presente no imaginário popular desde 565, o monstro do lago Ness seria uma criatura que vive no lago localizado nas Terras Altas da Escócia. Creditado como verdadeiro para uns, a fotografia mais famosa da suposta criatura foi divulgada na década de 30.

O flagra do monstro foi creditado ao doutor britânico Robert Wilson, em abril de 1934. Na realidade, a foto se trata de uma armação de um diretor de cinema chamado Marmaduke Wetherell.

O cineasta Marmaduke Wetherell (ao centro) enquanto procurava pelo lendário monstro / Crédito: Getty Images

 

O cineasta foi enviado à Escócia pelo Daily Mail de Londres para capturar o Nessie (como é popularmente conhecida a criatura). No entanto, depois de, logicamente, não ter encontrado a criatura, Wetherell, que também foi ator, forjou supostas fotos de pegadas.

Como consequência, a armação logo foi desmascarada pelo próprio jornal, que descobriu que se tratava da pegada de hipopótamos. O nome do profissional ficou manchado. 

Como forma de vingança, o cineasta contou com a ajuda de seu filho e mais dois amigos para forjar a famosa foto que circula até hoje em diversas mídias.

A foto passou na mão de várias pessoas até atingir o ginecologista Robert Wilson, que afirmava gostar de “uma boa piada prática”. Assim, a imagem foi vendida ao Daily Mail, que afirmou ter flagrado o monstro marinho.