Notícias » Brasil

Temporada de queimadas: Situação do Pantanal volta a preocupar

A devastação causada pelo fogo já está quase alcançando os números alarmantes de 2020

Ingredi Brunato, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 23/08/2021, às 15h48

Imagem das queimadas no Pantanal em 2020
Imagem das queimadas no Pantanal em 2020 - Divulgação

Com a época das queimadas, a vegetação devastada no Pantanal em 2021 já se aproxima dos números recordistas de 2020, conforme divulgado pelo G1 nesta segunda-feira, 23. 

As chamas já destruíram 261,8 mil hectares do bioma, ou o equivalente a duas vezes o município do Rio de Janeiro

Em 2020, que foi o pior da História em termos da extensão da área queimada, havíamos perdido 265,3 mil hectares nesta mesma altura do ano. As informações foram registradas pelo Laboratório de Aplicações de Satélites Ambientais (Lasa).

Atualmente, existem diversas brigadas de incêndio atuando no Mato Grosso do Sul. No último final de semana, inclusive, essas equipes que lutam pela preservação do bioma foram reforçadas com mais 36 militares que trabalharão 24 horas por dia. 

Apesar dos esforços, contudo, a situação é crítica, e ribeirinhos e indígenas foram obrigados a deixarem suas moradas para se protegerem do calor e da fumaça. 

“Essa semana tem sido extremamente crítica com relação aos incêndios florestais. Houve um agravamento na terra indígena Kadiwéu, o que resultou no aumento do contingente [de brigadistas] lá”, relatou Márcio Yule, que é coordenador do órgão PrevFogo do estado, em entrevista ao G1.

O especialista contou ao veículo ainda que esse sequer é o pior mês da temporada de queimadas. Setembro costuma ter focos de incêndio maiores, de forma que a situação no Pantanal ainda tende a piorar.