Notícias » Esporte

Tenista barrado na Austrália teve Covid-19 em dezembro

O sérvio Novak Djokovic é o atual nº 1 do ranking mundial de tênis, mas, está confinado em hotel

Wallacy Ferrari Publicado em 08/01/2022, às 14h00

Novak Djokovic durante partida de tênis
Novak Djokovic durante partida de tênis - Getty Images

O polêmico bloqueio da entrada do tenista sérvio Novak Djokovic, atual líder do ranking mundial de tênis, na Austrália ganhou mais um capítulo; documentos judiciais publicados na manhã deste sábado, 8, pelo programa Federal Circuit da Austrália revelam que o atleta testou positivo para Covid-19 em dezembro de 2021.

Apesar de se recuperar ainda naquele mês, o nº 1 do mundo tentou entrar no país da Oceania apresentando uma carta em nome do diretor médico do Tennis Australia, instituição que organiza as competições no país, apontando isenção médica de vacinação, revelando em seguida que ele havia se recuperado recentemente do novo coronavírus.

A carta não foi aceita pelas autoridades do país, que revogaram o visto antes mesmo dele competir no torneio. Atualmente, a Austrália obriga que autorização seja acompanhada da comprovação de vacinação completa – no qual Djokovic não revelou publicamente ter se imunizado, mas já criticou a exigência.

O sérvio faria parte do Aberto da Austrália, uma das etapas mais importantes da competição em alto nível, mas, está confinado desde o dia 6 de janeiro em um hotel e Melbourne, sob a alegação de ter violado a Seção 116 (1) (e) da Lei de Migração, que “permite o cancelamento de um visto quando o titular representa um risco para a saúde, segurança ou boa ordem da comunidade australiana, ou para um indivíduo dentro da comunidade australiana".