Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Mundo

Terapias de 'conversão sexual' são proibidas na Nova Zelândia

Lei no país criminaliza procedimentos que prometem mudar orientações sexuais

Paola Orlovas, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 16/02/2022, às 13h54

Jacinda Ardern, a primeira-ministra do país, durante parada LGBTQ+ em 2018 - Getty Images
Jacinda Ardern, a primeira-ministra do país, durante parada LGBTQ+ em 2018 - Getty Images

O Parlamento neozelandês aprovou na noite da última terça-feira, 15, um projeto de lei que proíbe terapias de conversão sexual.

A nova lei do país criminaliza procedimentos feitos em busca de mudar orientações sexuais e identidades de membros da comunidade LGBTQ+, e aqueles que a violarem poderão receber até cinco anos de prisão.

O projeto foi apresentado por Jacinda Ardern, a primeira-ministra do país, e era uma de suas promessas eleitorais. A lei recebeu 112 votos a favor e oito votos contra. As informações são da Deutsche Welle. 

O ministro da Justiça da Nova Zelândia,Kris Faafoi, comemorou a aprovação da lei, dizendo que "Este é um grande dia para as comunidades arco-íris da Nova Zelândia", e acrescentando, afirmando que "Práticas de conversão não têm lugar na Nova Zelândia moderna."

Agora, com a nova legislação, pessoas que aplicarem a terapia de conversão em menores de 18 anos ou pessoas incapazes de tomarem decisões poderão receber uma pena de até três anos de prisão, acompanhada com uma pena de cinco anos se a terapia causar danos a pessoa, que pode ser de qualquer idade.