Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Estados Unidos

Tesla é acusada de ‘segregação racial’ em fábrica

A empresa está sendo processada pelo estado norte-americano da Califórnia após alegações de operar um ‘local de trabalho racialmente segregado’

Redação Publicado em 10/02/2022, às 10h41

Imagem ilustrativa de carro da Tesla - Getty Images
Imagem ilustrativa de carro da Tesla - Getty Images

A Tesla, do bilionário Elon Musk, está sendo processada pelo estado norte-americano da Califórnia sob alegações de que está operando um “local de trabalho racialmente segregado” em sua fábrica principal na cidade de Fremont.

De acordo com o Departamento de Emprego Justo e Habitação da (DFEH, na sigla em inglês) da Califórnia, foram encontradas "evidências de que a fábrica de Fremont da Tesla é um local de trabalho segregado racialmente, onde os trabalhadores negros enfrentam insultos raciais e discriminação em atribuições de tarefas, disciplina, salários e promoções”.

Kevin Kish, diretor da agência, informou as evidências foram coletadas “depois de receber centenas de reclamações de trabalhadores”, que criaram um “ambiente de trabalho hostil” em que havia discriminação racial contra os funcionários negros da fábrica.

Na ação, enviada ao tribunal superior do condado de Alameda na última quarta-feira, 9, foi citada ainda uma série de pichações e insultos racistas às quais os trabalhadores teriam sido submetidos na fábrica. A queixa ficará disponível ao público ainda hoje, 10.

Ao se defender das acusações, a Tesla afirmou que o DFEH “se recusou a fornecer à Tesla as alegações específicas ou as bases factuais de seu processo” e considerou o processo como “errado”, como reportou o jornal britânico The Guardian.

A empresa também pediu que o tribunal “pause o caso e tome outras medidas para garantir que fatos e evidências sejam ouvidos”, antecipando a solicitação de arquivamento do processo.

“Atacar uma empresa como a Tesla, que fez tanto bem para a Califórnia, não deveria ser o objetivo primordial de uma agência estatal com autoridade de promotoria. Os interesses dos trabalhadores e a justiça fundamental devem vir em primeiro lugar”, diz a nota.

“A Tesla se opõe fortemente a todas as formas de discriminação e assédio e tem uma equipe dedicada de relações com funcionários que responde e investiga todas as reclamações”, acrescentou.