Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Alemanha

TikTok virou arma da ultradireita alemã e impulsionou candidato revisionista

Em cerca de cinco anos, o partido Alternativa para a Alemanha (AfD) triplicou seus votos entre os eleitores menores de 24 anos com a ajuda da plataforma

Fabio Previdelli

por Fabio Previdelli

fprevidelli_colab@caras.com.br

Publicado em 11/06/2024, às 12h19

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Imagem ilustrativa - Imagem de Kon Zografos por Pixabay
Imagem ilustrativa - Imagem de Kon Zografos por Pixabay

Em um período de cerca de cinco anos, entre 2019 e 2024, o partido de ultradireita Alternativa para a Alemanha (AfD) triplicou seus votos entre os eleitores com menos de 24 anos. 

Em 2019, para se ter ideia, o AfD havia obtido apenas 5% dos votos desta faixa etária; já o Partido Verde (com viés mais ecologista e pacifista) tinha um em cada três eleitores. Vale ressaltar, porém, conforme explica o DW, que o AfD é constantemente vigiado pelo serviço secreto interno alemão por sua possível ameaça à democracia

+ Alemanha aprova vigilância de partido de extrema-direita

Mas nas últimas eleições da União Europeia desse ano, o Alternativa para a Alemanha abocanhou 16% dos jovens — um patamar parecido com os principais grupos políticos do país. 

O fracasso do AfD entre os jovens era tamanho que o partido chegou a ser contra a ideia de reduzir a idade mínima para votaram, de 18 para 16 anos, nas eleições da UE. O argumento usado pelo Alternativa para a Alemanha é que os grupos favoráveis à medida só aceitavam a ideia porque sabiam que teriam mais votos de tal faixa etária. 

Viral nas redes

Como o tribunal rejeitou a queixa, o AfD se 'reinventou' e passou a criar campanhas direcionadas nas redes sociais, em especial no Instagram e no TikTok, com conteúdo de mensagens motivacionais, claras e de fácil compreensão. 

Mas o que tem gerado maior preocupação é o uso das plataformas por Maximilian Krah, o polêmico líder do partido. Usando do bom-humor e de frases diretas, ele passou a cativar o público assumindo um papel de anti-influenciador. 

No entanto, por trás de seu personagem esconde-se um político controverso, que não só é acusado de receber ajuda financeira de canais de propaganda russos como também de empregar um espião chinês.

Além disso, também é grande a preocupação pelo revisionismo promovido por Krah, que certa vez chegou a declarar que nem todos membros da SS eram criminosos. SS, vale lembrar, é a organização paramilitar nazista da Segunda Guerra que foi responsável pelo assassinato em massa de judeus. 

+ Justiça alemã condena político que usou slogan nazista

A reverberação do revisionismo de Krah foi tamanho que o AfD foi expulso do grupo político ID (Identidade e Democracia). Desta forma, o Alternativa para a Alemanha também proibiu sua aparição em campanhas, mesmo ele sendo o seu cabeça de chapa. Mas, nas redes, ninguém parece se importar com suas polêmicas.