Notícias » Bizarro

"Totalmente ultrajante": Austrália condena post de porta-voz da China

Minando a relação já tensa entre os dois países, a publicação denunciava supostas atitudes violentas de soldados australianos

Pamela Malva Publicado em 30/11/2020, às 11h30

Imagem meramente ilustrativa de soldados da Austrália
Imagem meramente ilustrativa de soldados da Austrália - Wikimedia Commons

A cada dia que passa, as relações entre China e Austrália, que antes eram parceiros comerciais, ficam mais tensas. Uma publicação feita nesta segunda-feira, 30, então, conseguiu minar ainda mais esse complexo relacionamento, segundo a BBC.

Tudo começou quando Lijian Zhao, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, criou um post polêmico no Twitter do governo. Na publicação, uma foto fabricada mostra um militar australiano ameaçando um menino afegão com uma faca.

O post teria sido motivado por um relatório divulgado no início do mês. Segundo o documento, cerca de 25 soldados de elite da Austrália teriam se envolvido no assassinato de 39 civis e prisioneiros do Afeganistão, entre os anos de 2009 e 2013.

Fotografia de Scott Morrison, o primeiro-ministro australiano / Crédito: Wikimedia Commons

 

A foto do soldado, no entanto, fazia referência à acusação de que militares australianos teriam matado dois meninos afegãos de 14 anos com o uso de facas. De acordo com a Australian Broadcasting Corporation, no entanto, o relatório divulgado pela Força de Defesa Australiana (ADF) não certificava essas alegações.

Em resposta ao post chinês, o primeiro-ministro australiano Scott Morrison exigiu que a foto fosse removida pela equipe do Twitter e que a China se desculpasse. Para ele, a publicação foi "repugnante, profundamente ofensiva e totalmente ultrajante".

Ainda mais, o político afirmou que “o governo chinês deveria estar totalmente envergonhado” com a atitude, já que ela “os diminui aos olhos do mundo”. "É uma imagem falsa e uma calúnia terrível para nossas forças de defesa", defendeu ele.